Gastão Elias e Nuno Borges recebem os primeiros wild cards para o Lisboa Belém Open

Beatriz Ruivo/Lisboa Belém Open

Gastão Elias (507.º do “ranking” ATP) e Nuno Borges (544.º) foram contemplados com os primeiros “wild cards” para o quadro principal de singulares do Lisboa Belém Open, torneio do ATP Challenger Tour que celebra a sua quarta edição entre 10 e 18 de outubro na terra batida do CIF, em Lisboa.

O elenco mais equilibrado de sempre do Lisboa Belém Open já contava com a presença de três tenistas portugueses — Pedro Sousa (113.º), João Domingues (161.º) e Frederico Silva (196.º) tiveram entrada direta —, pelo que assim sobe para cinco o número de representantes nacionais com participação garantida na grelha mais importante do maior torneio do concelho de Lisboa, que distribui 44.820 euros em prémios monetários e é organizado pela Unisports, MP Ténis e Federação Portuguesa de Ténis com os apoios da Câmara Municipal de Lisboa e da Junta de Freguesia de Belém.

Elias, natural da Lourinhã, e Borges, da Maia, são os tenistas portugueses com mais vitórias desde a retoma dos circuitos internacionais pós-confinamento (ambos com 11 à entrada para esta semana) e foram, aliás, protagonistas de duas das três finais realizadas em Portugal no último mês: em Sintra, o jovem maiato de 23 anos impôs-se em duas partidas; e no Porto, na última semana, o resultado inverteu-se, com o lourinhanense, de 29 anos, a regressar aos títulos três anos depois.

“Fico muito feliz por voltar a competir nesta categoria de torneios e poder fazê-lo em casa é ainda mais motivante”, referiu Gastão Elias, que conta com sete títulos e competiu pela última vez no ATP Challenger Tour em janeiro. “Espero fazer um bom torneio. Não quero colocar um objetivo em termos de rondas, mas sim tentar manter a boa forma e energia com que terminei a semana passada, no Porto.”

O ex-top 60 ATP lamentou que, devido à situação pandémica, o torneio tenha de acontecer sem a presença do público português nas bancadas, mas mostrou-se otimista em relação à semana no CIF: “Adoraria poder contar com o público português, pois são poucas as semanas em que temos essa oportunidade, mas tenho-me adaptado bem a esta nova realidade e prova disso foram os últimos torneios que realizei. Mesmo sem a ajuda do público espero continuar a exibir-me a um bom nível.”

Ao contrário do compatriota, Nuno Borges vai participar pela primeira vez no Lisboa Belém Open e o “wild card” traduz-se numa oportunidade preciosa: “É uma oportunidade incrível, porque somos um dos poucos países a conseguir realizar torneios. É muito importante conseguir jogar um torneio destes e principalmente em casa.”

A poucos dias de jogar pela segunda vez o quadro principal de um Challenger, o campeão nacional absoluto de 2020 revelou que “qualquer vitória seria um grande resultado, mas espero apenas estar ao nível dos meus adversários e sentir que posso ganhar o encontro.” Em relação ao futuro próximo, não deixou margem para dúvidas: “Está na altura de arriscar jogar alguns torneios destes, visto que nos últimos torneios venci encontros contra jogadores de nível Challenger.”

Com a entrega dos dois “wild cards” a Gastão Elias e Nuno Borges, restam apenas um convite para o quadro principal de singulares do Lisboa Belém Open e três para o “qualifying”, que arranca no sábado e se conclui no domingo.

Lista de jogadores confirmados no quadro principal:

1. Jaume Munar (Espanha), 109.º ATP
2. Pedro Sousa (Portugal), 113.º
3. Paolo Lorenzi (Itália), 130.º
4. Federico Gaio (Itália), 132.º
5. Cedrik-Marcel Stebe (Alemanha), 133.º
6. Tallon Grikspoor (Holanda), 138.º
7. Blaz Rola (Eslovénia), 147.º
8. Hyeon Chung (Coreia do Sul), 149.º
9. João Domingues (Portugal), 160.º
10. Martin Klizan (Eslováquia), 162.º
11. Botic Van de Zandschulp (Holanda), 165.º
12. Dmitry Popko (Cazaquistão), 170.º
13. Alessandro Giannessi (Itália), 171.º
14. Jay Clarke (Grã-Bretanha), 181.º
15. Mitchell Krueger (EUA), 186.º
16. Elias Ymer (Suécia), 187.º
17. João Menezes (Brasil), 189.º
18. Frederico Silva (Portugal), 195.º
19. Quentin Halys (França), 201.º
20. Maxime Janvier (França), 203.º
21. Renzo Olivo (Argentina), 208.º
22. Illya Marchenko (Ucrânia), 209.º
23. Blaz Kavcic (Eslovénia), 209.º — “ranking” protegido
24. Gastão Elias (Portugal), 507.º — “wild card”
25. Nuno Borges (Portugal), 544.º — “wild card”

Total
1
Shares
Total
1
Share