Lisboa Belém Open acontece “com muita resiliência e vontade de ajudar o ténis português”

Fernando Correia/Lisboa Belém Open

O mais difícil seria adiar a quarta edição para 2021, mas o Lisboa Belém Open vai mesmo acontecer em 2020 e começa já no próximo fim de semana. A caminho da quarta edição, o maior torneio de ténis organizado no concelho de Lisboa sobreviveu à pandemia de covid-19 graças à “resiliência” de Manuel de Sousa, o diretor e maior responsável pelo aparecimento do evento no calendário do ATP Challenger Tour.

“Este ano é francamente mais difícil organizar um torneio, mas por feitio não desisto e sempre que seja possível manter as coisas, mantenho. Como pessoa ligada ao ténis português conheço as dificuldades que os jogadores estão a enfrentar devido à falta de torneios, portanto enquanto for possível quero manter o torneio e ajudá-los. Este ano teria sido claramente mais cómodo fazer como se calhar fizeram mais de 50% dos Challengers e anular, mas por feitio sou uma pessoa com resiliência”, revelou na comunicação de apresentação do torneio enviada por e-mail.

As tranformações e obrigações a que o Lisboa Belém Open está sujeito são enormes: “A primeira diferença é logo a ausência do público, uma questão importante porque o torneio vive à base de patrocínios e de apoios. Não haver público é um handicap grande. E depois há todas as exigências da parte da ATP para controlar e garantir a segurança ao nível da covid-19: temos de ter um médico e um enfermeiro a tempo inteiro, temos de fazer testes duas vezes a jogadores, treinadores e todo o staff envolvido no torneio, desde árbitros a encordoadores, entre outros. Precisamos de ter salas de isolamento, salas para os médicos. Há um cuidado muito grande pedido pela ATP. Os jogadores antigamente almoçavam no restaurante do clube e este ano foi criada uma zona de refeição isolada e em termos de transporte também temos de ter mais viaturas e mais motoristas”, explicou Manuel de Sousa. No fundo, “só com este espírito e força de vontade é que se mantém um torneio num ano atípico como este.”

No meio das várias dificuldades, há a alegria do Lisboa Belém Open contar, em 2020, com o melhor “cut-off” de sempre: “Não temos nomes muito sonantes, mas em termos de cut-off é realmente o melhor de sempre do Lisboa Belém Open, portanto o nível vai ser excelente. E não é ainda melhor porque há três ou quatro semanas a ATP incluiu no calendário mais dois torneios ATP 250, senão estaria ainda mais forte. A nível desportivo o Lisboa Belém Open está muito equilibrado e vai ter um nível muito forte.” 

Total
9
Shares
Total
9
Share