Schwartzman elimina Thiem em maratona épica para chegar às meias-finais de Roland-Garros

Primeiro em Roma, agora em Paris. Duas semanas depois de derrotar Rafael Nadal a caminho da primeira final em Masters 1000, Diego Schwartzman surpreendeu Dominic Thiem ao fim de mais de cinco horas para chegar às meias-finais de Roland-Garros — as primeiras de sempre para o “pequeno-grande” argentino em torneios do Grand Slam.

Dizer que o argentino surpreendeu o austríaco é, por esta altura, relativamente arriscado: porque a campanha na capital italiana já tinha alertado (novamente) para as suas capacidades, porque o favorito vinha de uma caminhada histórica e exaustiva do outro lado do Atlântico e porque, bem, o cansaço de Thiem esteve sempre em evidência.

Mas como o próprio Schwartzman referiu na entrevista pós-jogo, entre muitos e grandes sorrisos, “Thiem é um dos melhores jogadores do mundo, finalista aqui nos últimos dois anos e o vencedor do último Grand Slam”. Por isso, a vitória que hoje assinou em 5h08, com os parciais de 7-6(1), 5-7, 6-7(6), 7-6(5) e 6-2, tem de ser considerada surpreendente — e acima de tudo uma enorme recompensa pelas horas que o argentino de 28 anos pôs no court depois de sofrer uma derrota devastadora na primeira ronda do US Open.

Como prémio, o tenista nascido em Buenos Aires tem a chegada às primeiras meias-finais da carreira em torneios do Grand Slam.

E agora que está superado o primeiro de três níveis desta missão impossível, pode começar a olhar para o segundo: nas meias-finais, Diego Schwartzman vai medir forças com o vencedor do encontro entre Jannik Sinner e Rafael Nadal, que em Roland-Garros joga em casa e, caso passe pelo italiano no último duelo da jornada desta terça-feira, terá a lição bem estudada para o reencontro com o argentino.

Caso o “conto de fadas” de Schwartzman conheça um novo capítulo, o argentino pode mesmo ter pela frente os três maiores obstáculos possíveis na terre batue parisiense, dado que do outro lado do quadro, e como mais provável adversário numa possível meia-final, está o número um do mundo Novak Djokovic, o único que o conseguiu travar em Roma.

Total
7
Shares
Total
7
Share