Francisca Jorge sofre reviravolta e termina como vice-campeã do Porto Open

PORTO — Horas depois de conquistar a melhor vitória da carreira, Francisca Jorge (591.ª WTA) esteve perto de esteve perto de somar a segunda, mas sofreu a reviravolta e terminou o Porto Open como vice-campeã. Foi a final de singulares mais importante da carreira para a número um nacional, que sai da cidade invicta com 30 pontos para o ranking mundial.

Com a difícil tarefa de superar a espanhola Georgina Garcia-Perez, número 228 WTA e detentora de um dos serviços mais rápidos do circuito, a vimaranense de 20 anos entrou muito bem e venceu o primeiro set. Depois, esteve encaminhada para o segundo, mas sofreu o contra-break e a partir daí a final começou a mudar de ascendente, com a mais cotada das duas a acabar por consumar a reviravolta ao vencer por 1-6, 6-4 e 6-3.

A disputar a primeira final de singulares da carreira em torneios de 25 mil dólares, Jorge dominou por completo o primeiro parcial: foi agressiva, obrigou a espanhola a várias movimentações e não teve receio de subir várias vezes à rede, criando-lhe várias dificuldades de todas as partes do court. No arranque da segunda partida o ascendente manteve-se, mas ao sexto jogo Garcia-Perez (que há três semanas ganhou uma final de 4h na Figueira da Foz) diminuiu a velocidade da bola e começou a causar mais dificuldades à portuguesa, que apesar de se ter mantido na luta não conseguiu segurar o parcial.

Chegado o momento de todas as decisões, a mais cotada das duas jogadoras entrou melhor e fez o break para o 2-0, mas Francisca Jorge não desanimou e foi rápida a retaliar. Apesar de ter voltado a ceder o serviço logo a seguir, a tetracampeã nacional soube manter o estilo de jogo agressivo e variado e manteve-se no encontro. A portuguesa não tremeu nem ao 4-1, nem ao 5-2, segurou o “saque” e ainda forçou um 40-40 no serviço de Garcia-Perez depois de salvar dois match points, mas a experiência falou mais alto e a espanhola saiu por cima de um jogo marcado por trocas de bola muito prolongadas para colocar um ponto final na discussão.

Apesar da derrota, Francisca Jorge só tem aspetos positivos a retirar da semana praticamente brilhante no Porto Open: derrotou quatro jogadores melhor classificadas, obteve a melhor vitória da carreira e chegou pela primeira vez a uma final de singulares num 25 mil dólares, que lhe vale a conquista de 30 pontos para o ranking mundial — o equivalente a conquistar três títulos em ITFs de 15 mil dólares! O efeito no ranking será tremendo: a portuguesa vai subir mais de 100 lugares e entrar pela primeira vez no top 500.

Total
6
Shares
Total
6
Share