Pedro Sousa em grande chega à final do Challenger de Split

Fernando Correia/Millennium Estoril Open

Um ano depois, Pedro Sousa (113.º do ranking ATP) vai voltar a jogar a final de um torneio Challenger.

Primeiro cabeça de série do Split Open, na Croácia, o número dois nacional colocou um ponto final na campanha de sonho do wild card Borna Gojo (270.º), ao vencer o jovem tenista da casa por 6-4, 5-7 e 6-2.

Numa meia-final prejudicada pelo forte vento que se fez sentir, Sousa revelou algumas dificuldades em adaptar-se às condições de jogo agrestes e depois de um primeiro set em que conseguiu estar sempre por cima perdeu terreno com a derrota no segundo. Embalado pelo restabelecimento da igualdade, bem como pelo apoio de vários compatriotas que animaram o encontro, Gojo mostrou-se disposto a retaliar ainda mais e forçou a quebra de serviço ao português no segundo jogo do parcial decisivo.

Mas o jogador do Centro de Alto Rendimento da Federação Portuguesa de Ténis conseguiu salvar os cinco pontos de break que enfrentou (!) e esse momento revelou-se decisivo: no jogo seguinte, e de forma autoritária, quebrou o serviço do tenista da casa e voltou à carga ao 4-2, passando a ser uma questão de minutos até selar a tão importante vitória.

A final de domingo será a segunda do ano para Pedro Sousa, que depois de se ter estreado em decisões na “primeira divisão” do circuito mundial (foi finalista do ATP 250 de Buenos Aires, na Argentina) regressa a finais do ATP Challenger Tour pela primeira vez desde setembro de 2019, quando deixou escapar o título em Florença.

Tal como nessa prova, também este domingo, num encontro em que será largamente favorito (ou contra Francisco Cerundolo, 223.º, ou Duje Ajdukovic, 462.º), procurará igualar o compatriota e seu atual treinador Rui Machado no topo da lista de jogadores portugueses com mais títulos em torneios deste circuito.

Portugueses com finais de singulares no ATP Challenger Tour:

17 – Gastão Elias (7-10)
14 – Pedro Sousa (7-6)
12 – João Cunha e Silva (3-9)
10 – Rui Machado (8-2)
8 – Nuno Marques (5-3)
7 – Fred Gil (6-1), João Sousa (5-2)
3 – João Domingues (2-1)
2 – Emanuel Couto (1-1), Leonardo Tavares (0-2)
1 – Bernardo Mota (0-1)

Total
5
Shares
Total
5
Share