Nem as sapatilhas, nem o tweener perturbaram a estreia de Djokovic em Roland-Garros

Novak Djokovic dificilmente poderia ter desejado um regresso mais tranquilo a Roland-Garros: esta terça-feira, sob a nova cobertura do Court Philippe-Chatrier, o número um do mundo só precisou de 1h38 para vencer e ultrapassar pela 16.ª vez em 16 tentativas a eliminatória inaugural em Paris.

No primeiro encontro em torneios do Grand Slam desde a desqualificação no US Open, o tenista sérvio respondeu da melhor forma possível às condições inéditas e aplicou os parciais de 6-0, 6-2 e 6-3 ao sueco Mikael Ymer, que pisou a terra batida com umas sapatilhas com o logótipo e a cara do sérvio impressos e só depois de um primeiro set de sentido único conseguiu alguns (mas insuficientes) rasgos de magia, dos quais se destacou um tweener winner que levantou os poucos espetadores presentes.

Na verdade, o único sinal de preocupação para Djokovic surgiu já na terceira partida, quando estava a um par de jogos de carimbar a vitória: o número um do mundo aparentou sentir algumas limitações no braço direito e realizou alguns alongamentos entre pontos, mas depressa retomou o nível que lhe permitiu criar tão folgada vantagem em tão pouco tempo e carimbou o acesso à segunda ronda, onde já o esperava o lituano Ricardas Berankis.

Total
1
Shares
Total
1
Share