Frederico Silva: “Tentei ter sempre a iniciativa e felizmente estive melhor nos pontos importantes”

Beatriz Ruivo/FPT

Pelo segundo dia consecutivo, Frederico Silva saiu do court com boas sensações e já só está a um passo do quadro principal de Roland Garros, o terceiro torneio do Grand Slam em que participa como profissional.

O acesso à terceira e última ronda do qualifying foi conseguido com uma vitória em dois tie-breaks frente a João Menezes, tenista brasileiro que sabia ser “muito sólido ao fundo e que gosta de controlar o ponto com a direita e que se torna perigoso quando o consegue fazer”, como contou ao Raquetc no final desta quarta-feira.

“Tentei sempre ter a iniciativa do ponto e fazê-lo movimentar de forma a que ele não estivesse confortável no ponto. Nem sempre consegui fazê-lo, mas felizmente estive melhor nos pontos importantes e o encontro caiu para o meu lado”, continuou Frederico Silva.

Em ambos os sets, o português de 25 anos esteve a perder por 6-5 (no segundo set esteve mesmo break abaixo), mas conseguiu recuperar e levar a melhor no tie-break: “O jogo foi sempre muito equilibrado e acabou por se decidir em poucos pontos. Quando estive por baixo tentei pensar e encarar os pontos da mesma forma que os restantes e concentrar-me no que tinha de fazer e ter confiança de que ia dar resultado. Felizmente consegui fazer os dois breaks no segundo set e vencer o encontro sem ir a um terceiro set.”

A separá-lo do primeiro quadro principal da carreira em torneios do Grand Slam está Tomas Machac (252.º), checo com o qual nunca treinou, nem defrontou. “Vou procurar informar-me da forma como joga e preparar o encontro da melhor maneira. Sei que vai ser muito difícil, mas estou confiante de que posso conseguir a vitória e alcançar o primeiro objetivo neste torneio, que é passar o qualifying.”

Total
3
Shares
Total
3
Share