João Sousa derrotado no regresso à Europa e à terra batida

Beatriz Ruivo/FPT

Ainda não foi desta que João Sousa (68.º do ranking) regressou às vitórias no circuito ATP: na terra batida de Kitzbuhel, o vimaranense teve as suas oportunidades para deixar pelo caminho um dos cabeças de série, mas não as conseguiu concretizar. Segue-se o Masters 1000 de Roma, antes de Roland Garros.

Frente a frente com Hubert Hurkacz (33.º) pela segunda vez na carreira (venceu o primeiro encontro, na relva de Halle), o jogador português não conseguiu fazer moça no primeiro parcial, que se decidiu com um break — à primeira oportunidade — no sexto jogo. Mas no segundo aumentou a agressividade, colocou mais pressão no serviço do adversário polaco e aproveitou o primeiro break point de que dispôs, logo no segundo jogo.

Na frente do marcador pela primeira vez, João Sousa soube dilatar a vantagem e ficou rapidamente a um jogo de igualar o encontro (liderou por 5-2). Só que no momento de servir para o parcial claudicou, e não só permitiu o contra-break como voltou a ceder o “saque” no jogo seguinte, deitando por terra as hipóteses de lutar por outro resultado.

A derrota desta terça-feira foi a oitava de João Sousa em oito encontros disputados no circuito internacional esta época, sendo a exceção o triunfo na eliminatória da Taça Davis entre Portugal e Lituânia, em março.

Encerrada que está a participação naquele que foi o último torneio oficial dos últimos 14 meses (!) em terra batida, o melhor tenista português de todos os tempos parte para Roma, onde vai disputar a fase de qualificação do Masters 1000 italiano. Depois, segue-se Roland Garros.

Última atualização às 11h11.

Total
2
Shares
Total
2
Share