Gonçalo Oliveira apura-se para a final de pares em Praga

Gonçalo Oliveira 11

Depois de na semana passada terem ficado pela segunda ronda, a dupla composta pelo português Gonçalo Oliveira e pelo sueco Andre Goransson elevou o nível para o segundo Challenger de Praga. Esta sexta-feira, a dupla luso-sueca apurou-se para a final de pares, ao levar de vencida o par constituído por Robin Haase e Botic Van De Zandschulp por 6-3, 4-6 e 10-5.

O encontro não começou muito bem para os terceiros cabeças de série, que cederam um break muito cedo e viram Haase e Zandschulp adiantarem-se por 2-1. A resposta de Oliveira e Goransson, contudo, foi de grande nível e não só conseguiram o contra break como ainda lograram uma segunda quebra de serviço que deixou o resultado em 4-2.

A guerra de breaks continuou e os holandeses não permitiram que Oliveira/Goransson confirmassem a quebra de serviço alcançada. Haase/Zandschulp conseguiram o contra break mas, uma vez mais, Oliveira/Goransson partiram para o ataque e quebraram o serviço dos adversários pela terceira ocasião. Desta feita, o par luso-sueco conseguiu confirmar o break e encerrar o primeiro set.

O arranque da segunda partida trouxe de imediato um break a favor de Gonçalo Oliveira e Andre Goransson. Com um set e um break de vantagem, os terceiros cabeças de série tinham o apuramento para a final bem encaminhado. Haase e Zandschulp recuperaram o break de atraso ao quarto jogo, mas voltaram a perder o jogo de serviço logo a seguir e Oliveira/Goransson chegaram de forma tranquila ao 4-2. Porém, os holandeses não se deram por vencidos em momento algum e conseguiram esboçar uma resposta para a qual a dupla luso-sueca não encontrou antídoto. Com quatro jogos ganhos de forma consecutiva, Haase/Zandschulp inverteram o resultado e forçaram o super tiebreak para decidir o lugar na final.

O desempate começou com os dois pares a trocarem mini breaks entre si, até ficarem empatados a dois pontos. A balança começou a pender para o lado de Oliveira/Goransson quando estes conseguiram mais um mini break que os deixou a vencer por 5-3. Pouco depois, novo ponto ganho no serviço dos adversários deixou a dupla luso-sueca a vencer por 8-4 e com um pé e meio na final. Apesar de Haase/Zandschulp ainda terem reduzido para 8-5, Gonçalo Oliveira e Andre Goransson não desperdiçaram a oportunidade quando regressaram ao serviço e, ao primeiro match point, selaram o triunfo.

Em busca do décimo título de pares em torneios Challenger e do terceiro esta temporada, Gonçalo Oliveira – juntamente com o seu parceiro – vai ter de medir forças com os quartos cabeças de série: Sander Arends e David Pel, que derrotaram Hans Hach e David Vega Hernandez por 6-1 e 6-4.

Total
2
Shares
Total
2
Share