Azarenka atinge primeira grande final em quatro anos e marca encontro com Osaka

Quase quatro anos depois de ter sido mãe, Victoria Azarenka está de volta a uma grande final de singulares: na “bolha de Nova Iorque”, a bielorrussa encontrou algum do ténis que em tempos fez dela a melhor jogadora do mundo e qualificou-se para a final do Western & Southern Open — transferido de Cincinnati para a Big Apple —, onde vai defrontar Naomi Osaka.

Outrora habituada a grandes voos, a tenista natural de Minsk já não inscrevia o nome na decisão de singulares de um dos maiores torneios do calendário (em pares chegou à final do último US Open) desde que conquistou, de forma consecutiva, os eventos de Indian Wells e Miami, em março de 2016.

Esta sexta-feira, esse jejum chegou ao fim graças ao triunfo por 4-6, 6-4 e 6-1 contra Johanna Konta, que ainda não tinha sido quebrada em todo o torneio e chegou a parecer bem encaminhada para atingir a final.

Aos 31 anos, Victoria Azarenka parte agora em busca do 21.º título da carreira (tem mais 17 finais disputadas, a última delas no WTA International de Monterrey, em 2019), que teve como pontos altos a conquista do Australian Open em 2012 e 2013.

Do outro lado do court estará uma jogadora que, tal como ela, também já foi número um e tem no currículo dois títulos em Majors: a japonesa Naomi Osaka, que tem sido a jogadora em maior destaque ao longo da semana, em grande parte devido à iniciativa que levou a ATP, a WTA e a USTA a adiarem a jornada de quinta para sexta-feira.

Total
2
Shares
Total
2
Share