Gonçalo Oliveira impotente para travar Wawrinka em Praga

O português Gonçalo Oliveira despediu-se esta terça-feira do quadro de singulares do segundo Challenger de Praga. Depois de furar a fase de qualificação e de surpreender Malek Jaziri na primeira ronda, o portuense caiu perante o campeão do evento da semana passada, Stan Wawrinka (15.º ATP), com os parciais de 6-3 e 6-4.

O tenista luso entrou relativamente bem no encontro e conquistou os primeiros dois break points no jogo inaugural. Wawrinka, contudo, conseguiu libertar-se da situação de aperto. Com o parcial em 3-2, o helvético partiu para a ofensiva na resposta e chegou ao 0-40 e aos consequentes três break points. Gonçalo Oliveira ainda conseguiu salvar o primeiro, mas não foi capaz de repetir a receita no segundo. O português cedeu o serviço e o break foi suficiente para Wawrinka levar de vencida o parcial.

A segunda partida desenrolou-se exatamente na mesma toada. Oliveira entrou destemido e conseguiu dois break points a favor, mas viu nova hipótese de break ser-lhe anulada por Wawrinka. O número 277 mundial também conseguiu ultrapassar as dificuldades logo a seguir, ao salvar seis break points para se adiantar no parcial (2-1). No entanto, assim que voltou ao serviço, Gonçalo Oliveira não teve a capacidade para voltar a anular três break points que surgiram a favor do suíço. À semelhança do primeiro set, o portuense anulou o primeiro e cedeu ao segundo o break que decidiu o encontro.

Afastado da vertente de singulares, Gonçalo Oliveira tem ainda o quadro de pares pela frente. Novamente a fazer dupla com o sueco Andre Goransson, o tenista português defende o estatuto de terceiro cabeça de série no quadro. Na primeira ronda, a dupla luso-sueca vai ter pela frente os alemães Yannick Maden e Daniel Masur. Wawrinka, por sua vez, segue para a terceira ronda e tem encontro marcado com o holandês Botic Van de Zandschulp (174.º), que bateu Marek Gengel (485.º) por 6-3 e 6-2.

Total
2
Shares
Total
2
Share