Frederico Silva fica perto mas falha acesso à terceira ronda em Praga

Beatriz Ruivo/FPT

Depois de um primeiro triunfo de forma tranquila no Challenger de Praga, Frederico Silva confirmou esta segunda-feira o bom nível no regresso à competição com mais uma exibição bem conseguida. Contudo, o tenista português cedeu para o ucraniano Sergiy Stakhovsky (168.º ATP), antigo número 31 mundial, pelos parciais de 2-6, 7-6(4) e 7-6(5), pelo que falhou o apuramento para a terceira ronda da prova.

Na terra batida de Praga, Frederico Silva arrancou a todo o gás e rapidamente assumiu o controlo do jogo. O português conseguiu o primeiro break da partida logo no jogo inaugural e, a meio do parcial, uma segunda quebra de serviço deixou o set praticamente resolvido. Com cinco dos primeiros seis jogos conquistados, o pupilo de Pedro Felner não teve dificuldades para fechar a primeira partida ao fim de apenas 26 minutos.

O segundo set pautou pelo equilíbrio e pela qualidade apresentada por ambos no serviço. Quer Frederico Silva, quer Stakhovsky confirmaram os jogos de serviço sem grande sobressalto e a ceder apenas um, no máximo dois pontos. Com o resultado em 4-4, Frederico Silva ainda conseguiu um 0-30 a favor no serviço do ucraniano, mas não foi capaz de capitalizar.

De volta ao serviço, o caldense voltou a apresentar qualidade com a primeira bola e chegou ao 5-5 sem grandes problemas. Stakhovsky também não teve dificuldade para chegar ao 6-5 e passou a bola para o lado do português, na posição de servir para se manter na discussão do set e forçar um tiebreak. Frederico Silva fê-lo com mestria, sempre apoiado num forte primeiro serviço, mas o “saque” falhou no desempate e a qualidade de resposta de Stakhovsky permitiu ao ucraniano “fugir” com o marcador e igualar o encontro a um set para cada lado.

A fase inicial do terceiro set viu Frederico Silva ficar muito perto de quebrar o serviço de Stakhovsky. O português teve três break points no segundo jogo do parcial, mas o ucraniano teve sempre um forte primeiro serviço guardado para o salvar nesses momentos.

O número quatro nacional continuou a pressionar na resposta com uma boa variação de jogo e a recorrer várias vezes ao slice de esquerda para criar dificuldades a Stakhovsky. Os break points voltaram a aparecer mas, uma vez mais, o serviço de Stakhovsky foi poderoso nesses momentos e Frederico Silva não conseguiu aproveitar.

O número 195 mundial continuou confortável nos jogos de serviço e a comandar os pontos do fundo do court. No entanto, uma resposta curta de Stakhovsky apanhou o caldense a meio da subida à rede, o que o forçou ao erro e a entregar um break point ao ucraniano. Ainda assim, Silva não cedeu à pressão e tirou uma página do livro do adversário: serviu muito bem nos pontos importantes e impediu que o break se consumasse.

Com Frederico Silva a vencer quase todas as batalhas de fundo do court e com Stakhovsky a optar por fazer uso do potente serviço para encurtar os pontos, o encontro continuou a desenrolar-se até chegar ao segundo tiebreak. Pelo meio, Frederico Silva ainda teve os primeiros dois match points quando o adversário servia a 6-5, mas não conseguiu concretizar.

Uma esquerda a beijar a linha por parte de Stakhovsky desequilibrou o tenista português, que já não teve pernas para chegar ao amortie do ucraniano. Com o primeiro mini break cedido ao opositor, Silva teve de correr atrás do prejuízo.

O tenista de 25 anos saiu por cima em dois longos pontos disputados do fundo do court e encurtou a desvantagem para 3-2. Um erro de Stakhovsky num volley a meio do court permitiu que o caldense devolvesse o mini break sofrido numa fase inicial. O ucraniano voltou a apostar no serve and volley para chegar ao 4-3 e acabou a vencer os dois pontos seguintes no serviço de Frederico Silva, o primeiro a aproveitar uma direita longa do português e o segundo a finalizar com um amortie um ponto bem construído. Com dois match points a favor e a servir, Stakhovsky vacilou e perdeu ambos os pontos. O terceiro match point a favor do ucraniano foi jogado no serviço de Frederico Silva e o ponto parecia bem encaminhado para o português. No entanto, o volley ficou curto e à mercê da direita do tenista de 34 anos, que assinou o winner para fechar a partida.

Na terceira ronda, Sergiy Stakhovsky já sabe que vai ter de defrontar o holandês Tallon Griekspoor (173.º), que bateu Kimmer Coppejans (153.º) por 7-6(3) e 6-3. Quanto a Frederico Silva, a chegada à segunda ronda vai valer a subida ao 193.º lugar no ranking mundial.

Total
3
Shares
Total
3
Share