Kyrgios revela que probabilidades de jogar fora da Austrália estão “perto de zero”

O australiano Nick Kyrgios foi um dos nomes mais ativos no mundo do ténis nos últimos tempos. O atual número 40 do mundo foi um dos tenistas a não se inscrever no US Open e tem vindo a ser muito crítico da postura de alguns companheiros de circuito.

Em entrevista ao canal australiano Nine, Kyrgios mostrou mais uma vez estar a ser cuidadoso com toda esta situação de pandemia, de tal forma que pretende também não jogar em Roland Garros. Aliás, o tenista de 25 anos não deverá voltar a viajar esta temporada.

“Eu sabia que muitos jogadores iriam [não se inscrever]. Não acho que o US Open esteja contente ao ver alguns dos grandes nomes do desporto a não colocarem a sua saúde em risco para ir lá jogar”, começou por dizer. A decisão de Rafael Nadal em também não ir aos Estados Unidos não terá apanhado Kyrgios de surpresa: “Não fiquei surpreendido pela decisão do Rafa. Acho que ele está mais a apontar a Roland Garros”.

E se Nadal estará a considerar retomar a atividade em Roland Garros, o mesmo não pode ser dito de Nick Kyrgios. O tenista natural de Camberra admitiu que se voltasse a jogar nesta altura seria na Europa, mas não deverá viajar no que falta de 2020.

“Se eu fosse jogar definitivamente preferia ir à Europa nesta altura do ano. Existe uma probabilidade muito pequena de eu jogar na Europa. Perto de zero, para ser honesto”, afirmou. “Vou usar este tempo para ficar em casa, treinar, estar com a minha família e amigos e atuar de forma responsável e esperar enquanto achar que é o melhor”, acrescentou.

A terminar, Nick Kyrgios mostrou ainda algumas preocupações em relação à edição de 2021 do Australian Open. O vencedor do Happy Slam de 2013 em juniores não tem muitas certezas de que a prova se venha a realizar, uma vez que afirma que “são tempos difíceis em Melbourne”.

Total
3
Shares
Total
3
Share