Madrid Open em risco: Câmara pediu cancelamento do torneio

É uma notícia de última hora e que pode colocar do avesso toda a temporada de terra batida (e não só) que está a ser improvisada: a Câmara Municipal de Madrid pediu aos responsáveis pelo Madrid Open que cancelem a edição de 2020 do torneio, prevista para a semana imediatamente a seguir ao US Open, ou seja, de 12 a 20 de setembro.

De acordo com o El Confidencial, a Comunidad de Madrid enviou uma carga ao diretor do torneio, Feliciano López, a solicitar o cancelamento da próxima edição devido ao “risco para a saúde tanto para o público, tanto para a organização e os jogadores”.

O documento terá sido enviado no dia 29 de julho pelo vice-conselheiro de saúde pública e resposta à covid-19, Antonio Zapatero, que terá recordado os responsáveis do torneio que compete à Câmara de Madrid tomar as decisões “de prevenção, contenção e coordenação necessárias” para fazer frente ao novo coronavírus.

Ainda de acordo com o mesmo jornal, o proprietário do torneio, o sempre irreverente e polémico Ion Tiriac, já terá respondido ao governo regional, afirmando que a organização está a aumentar as medidas de segurança e que estará disposta a fazer tudo o que for necessário para que o torneio aconteça. Até aos últimos dias, os responsáveis pelo maior evento de ténis disputado em Espanha ainda planeavam contar com a presença de algum público nas bancadas da Caja Mágica.

A verificar-se o cancelamento do Madrid Open 2020, os calendários da retoma dos circuitos internacionais sofrerão um duro golpe, que inclusive poderá influenciar o leque de jogadores que irão a jogo em Nova Iorque: com menos uma semana de competição na terra batida, é expectável que vários jogadores voltem atrás e optem por fazer a viagem até aos EUA, uma vez que passariam a ter mais tempo de adaptação entre o Grand Slam norte-americano e Roland Garros (atualmente precedido dos torneios de Madrid e Roma).

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."