Roger Federer está “a recuperar bem” e vai regressar no início do próximo ano

Sem competir desde que em fevereiro anunciou, de forma surpreendente, uma operação ao joelho, Roger Federer foi submetido a uma segunda intervenção cirúrgica no início do verão. Agora, está a “recuperar bem”, cada vez mais próximo dos treinos e o regresso deverá acontecer no início próximo ano — se a pandemia assim o permitir.

Quem o disse foi Severin Lüthi, treinador do suíço e capitão do país na Taça Davis, que numa conferência de imprensa em Biel explicou que “a recuperação está a correr bem, muito bem até, mas isso não é surpreendente tendo em conta a forma positiva como ele encara todas as coisas.”

“Está a fazer o trabalho físico e o próximo passo será o regresso aos treinos com raquete, no meio de agosto”, acrescentou o treinador, antes de esclarecer que o regresso à competição se mantém previsto para 2021: “Mantemos o que já tínhamos decidido: o Roger vai regressar para o Australian Open de 2021, se acontecer. Também estamos a considerar a possibilidade de jogar um torneio antes de viajarmos para Melbourne.”

Em fevereiro, o tenista helvético de 38 anos — celebra o 39.º aniversário no próximo mês — anunciou, de forma surpreendente, que depois de fazer exames e consultar especialistas optou por uma operação ao joelho direito, que o incomodava “há algum tempo”. Apesar do resultado positivo, foi necessária uma nova intervenção — a 10 de junho — e nessa altura o regresso foi definitivamente adiado para 2021, independentemente dos desenvolvimentos que ainda surjam a respeito da atual temporada, que está interrompida desde a primeira quinzena de março e tem a retoma prevista para o final de agosto, nos Estados Unidos da América.

Total
3
Shares
Total
3
Share