Nuno Borges na final do Nacional: “Ia ser sempre ‘taco-a-taco’ e tirei proveito do físico”

Beatriz Ruivo/FPT

PORTONuno Borges qualificou-se pela primeira vez na carreira para a final de singulares do Campeonato Nacional Absoluto/Taça Guilherme Pinto Basto, ao vencer uma “batalha do Norte” contra João Monteiro para atingir a terceira decisão do último mês.

Logo depois, na entrevista em direto à Sport TV, o tenista natural da Maia reforçou que “conhecemo-nos muito bem, por isso ia ser sempre ‘taco a taco’. Conhecemos as fraquezas e os pontos fortes de cada um, por isso foi sempre equilibrado. Ele esteve muito bem e queria desejar-lhe boa sorte, porque está a jogar muito bem. Estou muito feliz por ter conseguido sair por cima.”

Sobre a chave do encontro, Borges referiu que a frescura física fez a diferença: “Tentei manter-me resiliente do início ao fim. Mesmo no segundo set, em que estava bastante frustrado e ele estava a servir muito bem, tentei manter a postura. Tentei manter-me positivo e a certo ponto senti que ele fraquejou em termos físicos, enquanto eu senti-me mais disponível e tentei tirar proveito disso. Joguei com mais intensidade, fiz um jogo mais físico, com pontos mais longos, e lá consegui dar a volta.”

Na final do Campeonato Nacional Absoluto/Taça Guilherme Pinto Basto, que se joga no Porto, Nuno Borges vai ter como adversário o vencedor da meia-final entre Frederico SilvaTiago Cação. “São dois adversários muito bons e tal como hoje espero um encontro complicado. Espero poder estar à altura e conseguir recuperar até lá”, concluiu.

Total
2
Shares
Total
2
Share