João Sousa sem meias-palavras: “Faltou nível, faltou intensidade, faltou atitude”

Beatriz Ruivo/FPT

LISBOA — Uma semana depois de ter sido surpreendido na fase de grupos do primeiro torneio que realizou desde o início de março, João Sousa esteve perto do título no Lisboa Racket Centre, mas não conseguiu travar a semana perfeita de Frederico Silva e terminou como vice-campeão.

No final do encontro, o número um português e 66.º do ranking ATP não escondeu a insatisfação, mas deixou elogios ao adversário: “Faltou muita coisa. Faltou nível, faltou intensidade, faltou atitude. Hoje o Frederico esteve muito bem e com muito boa atitude. Tudo aquilo que eu não tive ele teve e por isso é que venceu hoje.”

Um dos momentos-chave do encontro aconteceu logo ao terceiro jogo, com uma chamada de um juíz-de-linha a deixar o tenista de Guimarães desagradado e psicologicamente afetado durante vários jogos: “[É uma situação que] faz parte do jogo. Já a semana passada aconteceu a mesma coisa, são coisas que acontecem e que me afetam, mas não deveriam afetar tanto. Tenho de aprender a lidar melhor com isso”, reconheceu, antes de fazer um balanço destas duas semanas de competição em solo nacional.

“Sinceramente não sei o que dizer. O objetivo era competir e foi alcançado. Houve encontros em que competi melhor, outros em que não competi tão bem, mas deu perceber que ainda falta trabalhar muita coisa e portanto foi positivo nesse sentido. Há que continuar a trabalhar para que no próximo torneio, que será a valer, já esteja um bocadinho melhor.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."