Inês Murta sai de Vale do Lobo “com um balanço positivo” e aponta às próximas semanas

Beatriz Ruivo/FPT

LOULÉInês Murta foi uma das melhores jogadoras da primeira semana do novo Circuito Sénior organizado pela Federação Portuguesa de Ténis e despediu-se da Vale do Lobo Tennis Academy com um balanço positivo e otimista para o futuro.

“É um balanço positivo, porque independentemente da derrota na final saio do torneio com boas sensações e, mais importante do que tudo, com informações importantes sobre o que posso melhorar. E saber exatamente aquilo que não resultou e aquilo que posso melhorar dá-me uma motivação extra para os treinos, o que é positivo”, disse a algarvia de 23 anos após a cerimónia de entrega dos troféus que aconteceu no final do torneio.

Sobre o duelo com Francisca Jorge propriamente dito, Inês Murta considerou que “houve alguns momentos em que me faltou alguma intenção. No geral podia ter jogado melhor taticamente e cometi bastantes erros não forçados, mas ela foi bastante sólida e fez um bom encontro.”

Satisfeita com a semana de competição em Vale do Lobo, a jogadora natural de Vila Real de Santo António vai voltar à área de Lisboa, onde reside atualmente, para participar na segunda etapa do Circuito Sénior FPT, no Lisboa Racket Centre.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."