Matilde Jorge vence a batalha do dia, Inês Murta não dá hipóteses na estreia

Beatriz Ruivo/FPT

LOULÉ — Manhã dedicada ao qualifying feminino, tarde preenchida pelo arranque do quadro principal masculina e noite feita dos primeiros encontros do quadro principal feminino. Numa jornada dividida em três atos, Matilde Jorge e Inês Murta assinaram dois dos últimos triunfos para começarem com o pé direito a participação na etapa do Circuito Sénior FPT na Vale do Lobo Tennis Academy, em Loulé.

O frente-a-frente mais aguardado era o que opunha Ana Filipa Santos, quarta cabeça de série e número um do ranking nacional, a Matilde Jorge — e não desiludiu: com o equilíbrio como uma constante, acabou por ser a jovem vimaranense de apenas 16 anos a sorrir por último, ao vencer por 7-5, 3-6 e 6-3 para se colocar numa posição muito favorável para o apuramento para as meias-finais.

“Estou feliz por ter conseguido entrar bem no torneio, com uma vitória. Quero encarar a semana encontro a encontro e vou preparar-me para ganhar outra vez”, afirmou Matilde Jorge, que também partilhou a satisfação que sentiu por estar de regresso à competição.

“É muito bom. Já estive em Oeiras na semana passada e estou muito entusiasmada por voltar a competir, porque é isto que adoro fazer”, concluiu numa altura em que a irmã, Francisca Jorge, também já tinha carimbado a sua vitória: como primeira cabeça de série, a mais velha (20 anos) das irmãs de Guimarães derrotou Sara Lança por 6-2 e 6-3 e lidera o Grupo 1.

Os triunfos mais rápidos da noite foram assinados por Inês Murta, que não deu hipóteses a Sara Neto e não cedeu um único jogo (6-0 e 6-0), e Maria Inês Fonte (que confirmou o estatuto de terceira cabeça de série ao vencer Madalena Amil por 6-1 e 6-1).

E também a maiata sorriu ao ser questionada sobre o regresso à competição: “É ótimo, ainda por cima no início do ano lesionei-me e por isso estive ainda mais tempo parada, por isso é ótimo estar de volta.” Já sobre o encontro, Maria Inês Fonte disse que se sentiu “confortável desde o início” e revelou que “quando se vem jogar um torneio é sempre para ganhar, mas a prioridade é pensar encontro a encontro e sobretudo desfrutar deste regresso.”

Total
1
Shares
Total
1
Share