Roland-Garros mantém qualifying e dá esperança a portugueses

Foi uma autêntica quarta-feira louca a que brindou o mundo do ténis com as mais recentes novidades sobre o regresso dos circuitos internacionais e entre os vários anúncios há três em particular que saltam à vista: os torneios de Madrid, Roma e Roland-Garros vão acontecer em semanas consecutivas, logo a seguir ao US Open, e planeiam contar com a presença de público nas bancadas.

Mas vamos por partes: ao contrário do que vai acontecer em Nova Iorque de 31 de agosto a 13 de setembro, a Federação Francesa de Ténis planeia avançar com a fase de qualificação (e os quadros de juniores, pares mistos e cadeiras de rodas). Falta definir o tamanho desses quadros — se serão de 128, como habitualmente, ou ligeiramente mais pequenos, de 96 jogadores, só se saberá mais tarde — mas em todo o caso a medida dá muita esperança a tenistas portugueses.

Porque se por um lado Pedro Sousa poderá não ter acesso direto ao quadro principal (é o 110.º do ranking e existindo qualifying só entram diretamente 104 jogadores), por outro João Domingues (152.º) e Frederico Silva (193.º) passam a estar praticamente garantidos na fase de qualificação, juntando-se ao lisboeta na luta por um lugar na grelha onde João Sousa, ele sim, tem a certeza de entrar automaticamente.

Agora, as restantes (semi)novidades: na conferência de imprensa por zoom que organizou numa altura em que a USTA ainda falava aos jornalistas norte-americanos, a FFT descartou “absolutamente” a possibilidade do torneio acontecer sem fãs — ainda que em números reduzidos e sempre de acordo com as recomendações das autoridades francesas.

Sem se alongarem mais, Bernard Giudicelli (o presidente da FFT) e Guy Forget (diretor do torneio e do Masters 1000 de Paris) acrescentaram apenas que “nesta altura seria imprudente” avançar com uma estimativa.

De resto, importa referir que Roland-Garros será disputado entre 27 de setembro e 11 de outubro, sendo o culminar de dois “meses de loucos” para o ténis internacional: nas semanas anteriores, e de forma consecutiva, jogam-se Cincinnati (20 de agosto), US Open (31 de agosto a 13 de setembro), Madrid (12 de setembro) e Roma (20 de setembro).

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."