Sérvia reúne estrelas num torneio sem máscaras ou distanciamento — e com público

Pouco a pouco, o mundo do ténis procura regressar à normalidade possível e enquanto os circuitos internacionais não são retomados surgem as primeiras iniciativas improvisadas. Mas se a grande maioria delas requer o cumprimento à risca de várias medidas de prevenção, na Sérvia houve um torneio solidário que ignorou grande parte das precauções recomendadas.

Tudo aconteceu no Kalemegdan, o maior palco da cidade de Belgrado (a capital do país), onde a casa de apostas SK Soccer reuniu várias estrelas da região das Balcãs para um conjunto de encontros que culminou com a vitória do bósnio Damir Dzumhur (número 107.º do mundo) por 4-3(5) e 4-3(5) sobre o sérvio Filip Krajinovic (32.º) na grande final.

No entanto, mais do que o elenco de luxo — também estiveram presentes Laslo Djere (80.º) e Marko Miladinovic (466.º), que substituiu o lesionado Dusan Lajovic (23.º) — o que está a dar que falar é a forma como o torneio se desenrolou: com apanha-bolas e árbitros sem máscaras, permitindo cumprimentos “tradicionais” à rede entre os jogadores e sem qualquer distância de segurança na cerimónia de entrega dos prémios, bem como a presença de público nas imediações.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."