Aos 22 anos, Naomi Osaka já é a desportista feminina mais bem paga da história

Não é segredo que o ténis rende milhões às maiores figuras da modalidade, mas o que Naomi Osaka alcançou em 2019 bate todos os recordes: a tenista japonesa tornou-se na desportista feminina mais bem paga da história,ultrapassando os registos de Maria Sharapova Serena Williams.

Com apenas 22 anos, Naomi Osaka amealhou 37,4 milhões de dólares (cerca de 34,33 milhões de euros) entre prize money e patrocínios nos últimos 12 meses, um valor nunca antes alcançado por uma desportista feminina.

Até este ano, o recorde pertencia a Maria Sharapova (ganhou 29,7 milhões em 2015), mas Serena Williams também conseguiu superar essa barreira no último ano: ganhou 36 milhões de dólares (33,03 milhões de euros).

Os números são avançados pela Forbes, que na publicação desta semana destacou que, desde que começou a fazer este tipo de cálculos, em 1990, foi sempre uma tenista a ocupar o topo da lista de desportistas femininas mais bem pagas do mundo. Antes de Osaka, Serena e Sharapova, também Venus Williams, Steffi GrafMartina Hingis e Li Na se destacaram, com a ex-tenista chinesa a ser fundamental para a explosão do mercado asiático, que também cresceu significativamente com a popularidade de Kei Nishikori e “abriu caminho” para a “explosão” de Naomi Osaka.

A lista dos 100 atletas mais bem pagos do mundo só será divulgada na próxima semana, mas já se sabe que Osaka surge na 29.ª posição (o que significa que nos 28 primeiros lugares só surgem homens) e Serena na 33.ª, sendo a primeira vez desde 2016 que duas mulheres surgem no top 100 — números que traduzem a disparidade salarial que ainda se verifica no mundo do desporto.

No que diz respeito à jovem tenista nipónica, são já 15 os “acordos milionários” que tem assinados, dos quais se destacam a Nike, a Yonex, a Nissan e a Shiseido.

Total
8
Shares
Total
8
Share