Federação Portuguesa de Ténis anuncia plano de apoio de 500 mil euros

Beatriz Ruivo/Federação Portuguesa de Ténis

A Federação Portuguesa de Ténis anunciou, esta quinta-feira, que vai investir 500 mil euros no plano de apoio à retoma da atividade depois da paragem total causada pela pandemia do novo coronavírus.

Em declarações à Lusa, o Presidente da FPT, Vasco Costa, esclareceu que “após o plano de retoma da atividade, que esperamos que seja o mais breve possível, vamos lançar um conjunto de medidas de apoio, em que a FPT se prontifica a ajudar todas as associações, clubes, jogadores, treinadores e árbitros, e no qual vamos investir meio milhão de euros.”

No comunicado entretanto emitido, o dirigente acrescentou que “o pacote de medidas que preparámos é um balão de oxigénio e acreditamos que vai ajudar a relançar a atividade para que possamos rapidamente voltar ao nível de atividade pré-pandemia”, acrescentando que “estamos atentos ao evoluir da situação e, caso se justifique, poderemos reforçar estes apoios.”

Das medidas previstas pela entidade fazem parte “a criação de um circuito nacional, composto por três torneios com um prize-money fora do normal” e a “antecipação do Campeonato Nacional Absoluto para o seguimento deste circuito nacional”, em que a FPT espera ter os melhores jogadores portugueses.

Para além dos novos torneios, Vasco Costa também quer tentar manter de pé a maioria dos que estavam agendados: “Tentaremos recalendarizar o máximo de torneios nacionais e internacionais para que não se perca, mesmo em termos de rankings nacionais e internacionais, muita atividade competitiva.”

Com o ténis juvenil como “uma das grandes preocupações”, também está a ser pensada a criação de “torneios de consolação paralelos para que, alterando o regulamento geral de provas, possam ser pontuáveis para o ranking nacional.” O objetivo é dar “uma motivação extra” ao circuito.

No que diz respeito ao fomento, a entidade vai avançar com compensações financeiras: “Uma vez que não foi possível fazer as ações de fomento que achamos fundamentais para o desenvolvimento do ténis, vamos compensar financeiramente os clubes e associações que sempre fizeram este tipo de trabalho.”

Além de prever “reforçar financeiramente as associações, no sentido de poderem ajudar os clubes, oferecer 36 mil bolas e o primeiro material de desinfeção aos clubes para a retoma da atividade”, a FPT pretende “fazer formação online gratuita para árbitros e treinadores e oferecer a inscrição no simpósio bi-anual, previsto para este ano”, bem como “abdicar das taxas de inscrição dos torneios pelos clubes e das suas equipas”.

Atualizado às 19h05.

Total
24
Shares
Total
24
Share