Restrições de Nova Iorque (e não só…) podem impossibilitar realização do US Open

Nem tudo foram boas notícias para a United States Tennis Association (USTA) no dia em que o presidente Donald Trump anunciou que o país já terá ultrapassado o pico da pandemia do novo coronavírus: as medidas de prevenção que estão a ser estudadas pela cidade de Nova Iorque podem impedir a realização do US Open.

À CNN, o Mayor Bill de Blasio explicou que o governo da região está a analisar a possibilidade de impedir a realização de quaisquer eventos desportivos até ao final de 2020 mesmo que entretanto seja levantado o período de quarentena.

Sendo o US Open um torneio fundamental para o bem-estar da federação norte-americana de ténis e, por consequente, para o desenvolvimento da modalidade no país, ganharia força a (até há pouco tempo remota) possibilidade de, excecionalmente, se transferir o torneio para a Califórnia, mais especificamente para o “deserto topo de gama” onde habitualmente acontece Indian Wells, mas…

Tal como em Nova Iorque, também na outra costa dos Estados Unidos da América o governo local está a considerar adotar a mesma medida em relação aos eventos desportivos marcados para o que resta de 2020.

Não passando, para já, de suposições, a USTA e o US Open têm cada vez mais obstáculos pela frente — mesmo se os responsáveis pelo ténis norte-americano voltaram a afirmar, na tarde de quarta-feira, que mantêm as intenções de organizar o torneio em Flushing Meadows nas datas previstas, isto é, de 31 de agosto a 13 de setembro.

Total
3
Shares
Total
3
Share