Nadal desabafa: “Passei uma semana difícil, não tinha vontade de me levantar da cama”

Isolado em Maiorca há várias semanas, Rafael Nadal também está a sentir o impacto da quarentena forçada pela pandemia do novo coronavírus e esta semana revelou as dificuldades que tem sentido para enfrentar o dia-a-dia.

“Para ser sincero estou melhor agora do que há três semanas. Apesar de estarmos confinados há tanto tempo e a situação ser a que é, somos ser humanos e temos a capacidade de nos adaptarmos às condições que enfrentamos. No início de tudo as notícias que via na televisão eram tão terríveis que era difícil ter vontade de me levantar e fazer alguma coisa que me ajudasse sentir melhor. Não havia nada positivo, era tudo negativo”, revelou em entrevista à rádio Onda Cero.

“Entretanto os dias têm passando e pouco a pouco regressei às minhas rotinas, a fazer exercício de manhã e à tarde e a pensar positivo. Há muita gente que está a enfrentar muitas dificuldades, nós dentro das circunstâncias estamos muito bem e por isso não temos razão para estar negativos, só para de alguma forma tentar ajudar aqueles que estão realmente a enfrentar muitas dificuldades“, acrescentou o tenista espanhol de 33 anos, que para além do seu talento e sucesso dentro do court também é conhecido por estar sempre disposto a ajudar os mais necessitados.

No mesmo diálogo, o atual número dois do ranking mundial também partilhou que não acredita num regresso rápido do ténis internacional: “Acredito que o futebol pode acabar [as épocas], mas o ténis é um desporto global, totalmente diferente. Não é possível jogar-se à porta fechada e garantir-se a segurança de todos, porque os jogadores são de todos os cantos do Mundo. Sinceramente nesta altura o ténis não me preocupa, primeiro é preciso superar esta tragédia, mas se o ténis pudesse regressar à porta fechada eu ficaria encantado.”

Total
5
Shares
Total
5
Share