João Zilhão: “Estávamos com oito top 20 quando o Millennium Estoril Open foi cancelado”

A pandemia de coronavírus paralisou o globo terrestre e, por consequente, os circuitos internacionais de ténis até pelo menos meio do mês de julho, mas o Millennium Estoril Open já estava numa fase avançada das preparações para a maior semana de ténis em Portugal e o leque de jogadores confirmados fazia prometer o melhor cartaz de sempre.

A revelação foi feita por João Zilhão, o diretor do torneio, que numa conversa em direto com Armindo Mirante (diretor geral do Lisboa Racket Centre e sócio da 3Love, entidade organizadora do torneio) revelou que “estávamos com oito jogadores do top 20 quando o torneio foi cancelado”.

Desse grupo faziam parte os já anunciados Stefanos Tsitsipas (campeão em título) e Félix Auger-Aliassime mas também Stan Wawrinka e David Goffin, dois jogadores que “foram fechados” nos dias anteriores ao congelamento dos circuitos mundiais devido ao coronavírus. “Eram dois nomes extraordinários, um membro do top 10 e um jogador que já foi e tem três títulos do Grand Slam.”

Na mesma conversa, que faz parte de uma série de eventos em direto promovidos pelo Lisboa Racket Centre no Instagram, João Zilhão também explicou a razão pela qual o torneio não foi adiado para outra semana da temporada de 2020.

“O Millennium Estoril Open é um evento construído de raiz. Apesar de ser feito num clube de ténis, todas as infraestruturas são construídas de forma temporária para aquela semana, desde as tendas dos sponsors a restaurantes, as bancadas… Tem custos elevadíssimos e se por ventura a ATP nos arranjasse uma data para setembro ou outubro haveria um risco muito grande de começarmos novamente a montar tudo e o evento não se poder realizar”, respondeu o diretor do único torneio ATP organizado em Portugal.

“Monte Carlo teve a hipótese de ser reagendado, mas, e precisamente por ser um torneio idêntico ao nosso no sentido em que tudo é construído de raiz, decidiu que não ia querer acontecer em setembro porque não acreditam que haja a possibilidade de o fazer com toda a segurança e o risco financeiro é demasiado grande. E o mesmo se passa com o Millennium Estoril Open, com o custo elevadíssimo que temos de estruturas, e o tempo de montagens, seria muito, muito difícil”, completou João Zilhão.

Com a realidade alterada pelo coronavírus, o diretor do torneio acrescentou que tem passado os dias “em teletrabalho” a entrar em contacto com os sponsors do Millennium Estoril Open. “Para manter a proximidade que precisamos de manter e para sentirem como é que nos podem ajudar a ultrapassar esta crise. Estamos juntos neste barco e é isso que temos feito, trazer os sponsors para dentro do projeto e conseguir que nos ajudem de uma forma ou de outra para chegarmos com saúde financeira a 2021. De uma forma geral a aceitação tem sido muito boa, temos uma família de sponsors muito unida.

O Millennium Estoril Open de 2021 está marcado para a semana de 24 de abril a 2 de maio, no Clube de Ténis do Estoril.

Total
9
Shares
Total
9
Share