Federação Portuguesa de Ténis estuda recalendarização e plano de combate ao Covid-19

Beatriz Ruivo/Federação Portuguesa de Ténis

Perante a incerteza que paira pelo Mundo devido ao Covid-19, a Federação Portuguesa de Ténis (FPT) está a estudar várias possibilidades quanto à recalendarização de provas mas também medidas para reerguer o ténis uma vez superada a pandemia do novo coronavírus.

Um dia depois do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, ter renovado o Estado de Emergência por mais 15 dias, o Presidente da FPT, Vasco Costa, disse numa mensagem vídeo que a entidade que rege o ténis está “a trabalhar diariamente com vários cenários para quando for possível recomeçarmos a atividade com muita força e muito dinamismo.”

Consciente de que a situação atual é “muito difícil em termos mundiais” e que a saúde de todos é “a grande prioridade”, Vasco Costa explicou que está “em contacto permanente, quase diário, com a ITF, a Tennis Europe e a ATP no sentido de reagendarmos quase todos os torneios que não foi possível realizar” devido ao surto de Covid-19. Nesse sentido, a ser possível o mês de agosto seria aproveitado “para ser um mês forte de competição” por ser uma época do ano em que praticamente não há torneios agendados.

A Federação Portuguesa de Ténis está igualmente atenda às “medidas de apoio que sejam criadas e aplicáveis ao desporto” e à “tentativa da criação de uma nova medida específica para a atividade desportiva.”

E reconhece que será necessário definir “medidas de apoio fortes para termos dinamismo no arranque da atividade nacional e internacional”. Para isso, irá “suspender todos os investimentos que estavam planeados para infraestruturas com exceção dos que estava em curso”.

Total
13
Shares
Total
13
Share