“Casa” do US Open vai ser convertida num hospital temporário para combater o coronavírus

A cidade de Nova Iorque é uma das mais afetadas pela pandemia de coronavírus e esta segunda-feira anunciou que passará a ter mais um hospital temporário para o combate ao Covid-19. Trata-se nada mais, nada menos do que o Billie Jean King National Tennis Center, em Flushing Meadows, ou seja, o complexo que todos os anos recebe o US Open.

Localizado em Queens, que é apontado pelas autoridades locais de saúde como o bairro com mais casos de contaminação e mortes devido ao coronavírus, o complexo será dividido em várias zonas para ajudar ao combate à propagação do vírus, informou o The Wall Street Journal.

O pavilhão de treinos — que é composto por vários courts e espaços amplos — vai ser convertido numa área de 350 camas destinada a doentes que não estejam infetados pelo Covid-19,  enquanto o Louis Armstrong Stadium (o segundo maior do complexo) será transformado numa área de confeção e empacotamento de refeições — um total de 25 mil por dia, destinadas aos trabalhadores dos hospitais da cidade de Nova Iorque e a outros que delas necessitem.

O balanço feito esta segunda-feira pelo governador Andrew Cuomo fixou-se num total de 66.500 casos confirmados no estado de Nova Iorque e 914 mortes.

Total
11
Shares
Total
11
Share