Bautista atira-se à FFT: “Não é bom que se tomem decisões sem consultar os jogadores”

Depois da decisão polémica tomada pela Federação Francesa de Ténis (FFT), que mantém a realização de Roland Garros nos planos para 2020 mas numa nova data, os jogadores continuam a manifestar desagrado por não terem sido consultados previamente. O mais recente atleta a dar a sua opinião foi o espanhol Roberto Bautista Agut, número 12 mundial.

“Não creio que seja oportuno falar de alterar a data de Roland Garros e não creio que esteja situada na melhor altura, com uma semana entre o US Open e Roland Garros”, começou por dizer o espanhol, que alcançou a quarta ronda do Grand Slam francês por duas ocasiões (2016 e 2017).

“Obriga-nos a mudar de superfície e ter muito desgaste, em jogos de cinco sets. Também não é bom que se tomem decisões sem consultar os jogadores”, concluiu, em declarações reproduzidas pelo portal espanhol Punto de Break.

Roberto Bautista Agut é apenas mais um tenista a juntar-se à onda de críticas que têm sido atribuídas à decisão da FFT. Logo após ter surgido o comunicado com a nova data do Major parisiense, nomes como Diego Schwartzman, Sorana Cirstea ou Vasek Pospisil recorreram às redes sociais para criticar a falta de poder dos jogadores nas grandes decisões.

Total
3
Shares
Total
3
Share