Diretor de Acapulco arrasa Roland Garros: “Decisão traiçoeira e egoísta”

Sem surpresas, a decisão tomada pela Federação Francesa de Ténis na terça-feira está a dar muito que falar e entre jogadores, responsáveis federativos e adeptos há também diretores de torneios a demonstrarem o seu desagrado.

O caso mais mediático — para já — é o de Raúl Zurutuza, que até já tem o trabalho “resolvido” porque o seu evento (que é um dos melhores ATP 500 do circuito e também um WTA International) aconteceu em finais de fevereiro e sem quaisquer problemas.

O responsável pelo Abierto Mexicano Telcel recorreu ao Twitter para demonstrar todo o seu desagrado: “A decisão de Roland Garros de adiar o torneio para setembro é, do meu ponto de vista, traiçoeira e egoísta e só demonstra o desdém que têm em relação aos restantes torneios do circuito e pelos vistos também pelos jogadores, porque nem eles foram consultados.”

Total
7
Shares
Total
7
Share