Toni Nadal: “O melhor que fiz pelo Rafa foi ser exigente”

Já não trabalham juntos, mas Toni e Rafael Nadal foram uma das duplas de maior sucesso no circuito ATP durante os últimos anos. O tio do maiorquino conduziu-o a 16 títulos do Grand Slam, não tendo estado já presente nas últimas três conquistas do sobrinho.

“Acho que o melhor que fiz pelo Rafa foi ser exigente com ele”, começou por dizer Toni, em declarações aos jornalistas, aquando da visita ao Rafa Nadal Tennis Centre Costa Mujeres em Cancún, no México. “Ele era alguém a quem pedia sempre que desse o seu melhor, fosse num campeonato europeu ou no treino diário. Era mais difícil para ele treinar comigo do que ganhar um torneio e, no fim de contas, essa grande exigência diária permitiu que ele desenvolvesse o seu potencial ao máximo”, acrescentou.

Aos 33 anos, Rafael Nadal é o segundo tenista com mais Grand Slams ganhos no circuito, apenas atrás de Roger Federer. Para além disso, o espanhol é o quarto tenista com mais títulos ATP na história (85). “É óbvio que ele se tornou o melhor devido ao seu talento e dedicação, mas também pela sua disposição em trabalhar diariamente com muito empenho”, afirmou Toni Nadal.

“Eu tornava as coisas difíceis para ele e tenho que admitir que às vezes fui demasiado duro. Os meus métodos apontavam sempre a pedir-lhe um pouco mais e a fazê-lo sentir a pressão e exigência máximas”, concluiu o tio do tenista espanhol, que hoje trabalha na academia de Rafa em Manacor mas que ainda assiste ao vivo a alguns jogos do sobrinho.

Esta temporada, Rafael Nadal venceu 13 dos 16 encontros disputados. O maiorquino chegou à final da ATP Cup e aos quartos de final do Australian Open, antes de se sagrar campeão em Acapulco. Numa altura em que o circuito foi suspenso devido ao surto de COVID-19, Nadal encontra-se a menos de 400 pontos do sérvio Novak Djokovic, líder do ranking.

Total
4
Shares
Total
4
Share