Diego Schwartzman: “Temos de pensar que vai ser uma época mais curta e adaptarmo-nos”

Diego Schwartzman mal queria acreditar quando aterrou em Los Angeles e soube do cancelamento repentino do torneio de Indian Wells, mas uma vez posto a par da situação reconheceu que foi a decisão certa. Agora, o argentino olha para o futuro consciente de que se tem de aceitar o que está a acontecer.

“Não gostei [de saber que foi cancelado], sobretudo porque tinha acabado de aterrar e soube através de mensagens do Facundo Lugones e do Federico Coria. Até procurei para ver se não era dia das mentiras porque pensei que estavam a pregar-me uma partida. Mas depois vi que tinha um e-mail escrito apenas em inglês, e não em várias línguas, que dizia algo como “notificação da ATP”. Muitas vezes esses e-mails têm informação que não é muito importante e nem sempre os abrimos logo mas foi assim que soubemos que o torneio tinha sido cancelado. Foi disso que não gostei, porque cancelá-lo era realmente a decisão mais sensata”, revelou numa entrevista ao La Nacion.

O pequeno-grande tenista argentino não tem dúvidas de que a suspensão total do circuito masculino durante pelo menos seis semanas “é o mais certo a fazer porque há muitos desportistas que podem ter o vírus e se contagiassem outros estariam a multiplicá-lo”.

O regresso a casa não o preocupou — porque como desportista tenho de estar a 100% todas as semanas e por isso já tenho sempre muito cuidado com a minha higiene quando ando de avião, tenho sempre o meu gel de álcool e lavo muitas vezes as mãos — mas o ranking faz com que Schwartzman tenha algumas preocupações. “Assim como suspenderam os torneios, deviam congelar o ranking até novo aviso ou chegar a um compromisso. Na verdade não sei bem… É uma decisão difícil.”

E a solução para os próximos tempos? “Fazer de conta que o ano não começou e preparar uma pré-temporada de três ou quatro semanas. Temos de pensar que vai ser uma época um pouco mais curta e adaptarmo-nos.”

Total
2
Shares
Total
2
Share