Jogadores tiveram de abandonar o Challenger de Nur-Sultan a meio para evitar quarentena

O surto de coronavírus que continua a alastrar-se um pouco por todo o mundo está a afetar cada vez mais o calendário tenístico e um dos mais recentes — e insólitos — episódios aconteceu em Nur-Sultan, a nova designação de Astana, capital do Cazaquistão.

Jogadores com nacionalidades francesa e alemã foram obrigados a abandonar o torneio Challenger que lá se realiza antes da meia-noite de quarta para quinta-feira para evitarem uma quarenta de pelo menos 14 dias, o que levou a que vários desistissem em plena competição, já depois de terem superado a eliminatória inaugural.

Foram os casos de Mats Moraing, Enzo Couacaud e Yannick Maden, cujas desistências aparecem justificadas como “não médicas”.

A outra desistência registada foi de Frederico Silva mas por razões médicas: o tenista natural das Caldas da Rainha sentiu uma dor na coxa durante um treino da véspera e porque “havia uma pequena hipótese de ser uma micro rotura” decidiu não continuar o jogo para não agravar a lesão, explicou ao Raquetc.

Otimista de que “daqui a uma semana já devo estar a 100%”, o atual número quatro nacional espera regressar à competição no Challenger de Lille, em França.

Também esta quarta-feira, e devido ao coronavírus Covid-19, a Federação Internacional de Ténis adiou a primeira edição das Fed Cup Finals e a Câmara Municipal de Braga cancelou a terceira edição do Braga Open, que só regressará em 2021.

Total
3
Shares
Total
3
Share