Lyon. Sofia Kenin e Anna-Lena Friedsam são as últimas sobreviventes

A final do WTA de Lyon deste domingo já tem protagonistas. A norte-americana Sofia Kenin, número cinco mundial, fez jus ao estatuto de primeira cabeça de série e garantiu um lugar na grande decisão do torneio francês. A adversária da campeã do Australian Open será a alemã Anna-Lena Friedsam (#136 WTA), que vai jogar a primeira final de singulares desde 2015.

Friedsam, cujo único título no currículo é num WTA 125 (em Suzhou, no ano de 2014), abriu a jornada deste sábado perante a russa Daria Kasatkina (#73). Numa partida onde salvou quatro dos sete pontos de break que enfrentou e venceu 59% dos pontos disputados no segundo serviço (Kasatkina teve 32% neste aspeto), a tenista de 26 anos acabou por sair vencedora, com os parciais de 6-3, 3-6 e 6-2.

O grande jogo do dia opôs Sofia Kenin e Alison Van Uytvanck (#62). As duas tenistas apresentaram-se em bom plano para encerrar as meias-finais e depois de dois sets com breaks mas decididos no tie-break, o terceiro parcial foi uma autêntica batalha de titãs. Quer Kenin, quer Van Uytvanck fizeram do serviço a maior arma e não quebraram até surgir um terceiro tie-break. No desempate, Kenin foi mais forte e acabou por vencer com os parciais de 7-6(5), 6-7(2) e 7-6(2).

Este domingo, Sofia Kenin e Anna-Lena Friedsam vão discutir entre si quem será a primeira campeã da história do torneio. A norte-americana procura o segundo título da temporada e o quinto em seis finais na carreira. Quanto a Friedsam, está de regresso a uma grande decisão ao mais alto nível, depois de ter sido vice-campeã na cidade austríaca de Linz, em 2015.

Total
1
Shares
Total
1
Share