João Sousa dá boa réplica mas perde para top 40 em forma no regresso ao Dubai

João Sousa (68.º do ranking) vai ter de continuar à procura da primeira vitória da temporada. O número um português entrou bem no ATP 500 do Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, e não só deu muito boa réplica a um adversário do top 40 como alinhou a melhor exibição da temporada mas acabou por não evitar a eliminação na primeira ronda.

No reencontro com Filip Krajinovic (33.º), precisamente o último jogador que derrotou, o tenista vimaranense de 30 anos perdeu por equilibrados 4-6, 6-3 e 6-3 depois de 2h05.

Sousa revelou desde cedo maior disponibilidade física depois de quase dois meses perturbado por uma segunda lesão consecutiva e não tardou a adiantar-se. O português fez o break logo ao terceiro jogo com um winner de direita na resposta ao serviço e mostrou a Krajinovic e não pestanejou até ao momento em que se viu a servir para fechar o seu primeiro parcial desde outubro de 2019.

Nesse momento, o pupilo de Frederico Marques enfrentou três pontos de break consecutivos mas fez valer da pancada de serviço (colocou 88% das primeiras bolas nesse parcial e apontou sete ases, metade dos que fez em todo o encontro) para superar as situações mais difíceis e, depois de muita luta, converter o terceiro ponto de set para se adiantar no marcador.

A resposta de Filip Krajinovic não tardou e o sérvio — que vem de meias-finais consecutivas em Montpellier e Roterdão — recorreu à pancada de esquerda para sair de momentos de maior aperto (como quando enfrentou três pontos de break consecutivos logo no primeiro jogo e mais tarde ao 3-1) e começar a criar dificuldades ao jogo de Sousa, que baixou de rendimento e só recuperou a acertividade e agressividade da pancada de direita já no terceiro parcial, com duas quebras de serviço de desvantagem.

Mas a diferença já era grande: apesar de ainda ter sido bem sucedido na tentativa de recuperar um dos breaks e ter ameaçado o segundo, João Sousa já não conseguiu dar a volta ao marcador e acabou afastado, ele sim, com uma reviravolta.

Foi a quinta derrota do ano e a oitava consecutiva para o jogador português, que depois de ter passado por Portugal para avaliar o estado da entorse no pé regressará ao país para começar a preparar a eliminatória da Taça Davis frente à Lituânia, a 6 e 7 de março.

Total
7
Shares
Total
7
Share