Maria Inês Fonte não evita derrota e Portugal precisa de reviravolta para não descer

Ainda não foi desta que Maria Inês Fonte quebrou a malapata: a jogadora portuguesa voltou a perder um encontro de singulares e a seleção nacional está obrigada a vencer os últimos dois encontros frente a Israel para garantir a manutenção no Grupo II da Fed Cup.

No primeiro duelo desta sexta-feira, a jovem maiata de 18 anos (número 894 do ranking mundial) cedeu por 6-3 e 6-2 em 1h11 para Shelly Bereznyak, a 816.ª classificada.

Chamada à ação pela capitã Neuza Silva pela terceira vez em quatro jornadas, a número três portuguesa só conseguiu fazer moça pela primeira vez no jogo da adversária israelita ao quinto jogo do primeiro set e só no segundo parcial é que conseguiu estar no comando — mas não por muito tempo: o break inaugural foi rapidamente devolvido por Bereznyak, que depois se agarrou à liderança para conquistar o primeiro ponto para Israel.

Foi a quarta vez em quatro jornadas que a seleção nacional feminina entrou a perder e a pressão fica agora do lado da número um portuguesa, Francisca Jorge: a vimaranense está obrigada a vencer para igualar o frente a frente entre Portugal e Israel e adiar a decisão da manutenção para o par.

Atualizado às 14h33.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."