Inês Murta derrotada no regresso aos singulares na Fed Cup

Escola Rafael Bordalo Pinheiro

Inês Murta foi derrotada no encontro inaugural entre Dinamarca e Portugal, um resultado que deixa a seleção nacional feminina obrigada a procurar a reviravolta pela segunda vez consecutiva no Grupo II da Zona Europa/África da Fed Cup.

A disputar o primeiro torneio desde outubro, a jogadora algarvia de 22 anos não conseguiu ter argumentos para superar a mais experiente Karen Barritza (atualmente sem ranking mas que há dois anos foi 396.ª) e perdeu por 6-1 e 6-0.

A tenista dinamarquesa de 27 anos conseguiu criar nove oportunidades de break e converter seis, enquanto a portuguesa só dispôs de uma e não a conseguiu converter. Barritza foi sempre a jogadora no comando e o desfecho do encontro nunca pareceu estar em dúvida mas o resultado pesado omite a luta que Murta ofereceu em vários jogos de serviço que acabaram por tender para o lado da adversária depois de vários pontos de jogo a seu favor.

A derrota de Inês Murta deixa a seleção de Portugal obrigada a procurar a reviravolta pelo segundo dia consecutivo. Na terça-feira, Maria Inês Fonte entrou bem mas não conseguiu transformar a vantagem de um set e um break na melhor vitória da carreira e horas depois também Francisca Jorge desperdiçou oportunidades — não só uma vantagem semelhante como um match point no tie-break da terceira partida — de igualar o confronto.

Número um nacional, a vimaranense será precisamente a próxima a ir a jogo: defronta Clara Tauson, que há um ano era a número um mundial de juniores.

Última atualização às 14h46.

Total
3
Shares
Total
3
Share