Carlos Alcaraz Garfia. 2020 ainda agora começou e o miúdo sensação já triplicou o currículo

A época de 2020 ainda agora começou mas já há quem esteja a faturar e bem no circuito profissional. Se entre as maiores estrelas do planeta Andrey Rublev (dois títulos em dois ATP 250) e Elena Rybakina (uma final e um título em dois WTA International) já fizeram correr muita tinta, no primeiro nível dos circuitos profissionais é Carlos Alcaraz Garfia quem mais está a dar que falar.

Com apenas 16 anos, o miúdo que é apontado por muitos como “o novo Rafael Nadal” já triplicou o palmarés e não é tímido no que toca a estabelecer objetivos.

“Gostava de conseguir jogar o qualifying de Wimbledon”, revelou numa das entrevistas que deu a meio da última semana, a caminho do segundo título consecutivo em torneios internacionais de 15.000 dólares na Academia de… Rafael Nadal.

Mais do que os dois títulos, que conseguiu com 10 vitórias nos 10 primeiros encontros disputados no novo ano, o que impressiona é a forma como o novo “menino” do ténis espanhol dominou (quase) todos os adversários: Carlos Alcaraz Garfia venceu oito desses 10 duelos em sets diretos, um dos quais contra o português João Monteiro nas meias-finais.

Duas prestações como estas só se podiam traduzir numa subida significativa e é isso mesmo que vai acontecer: quando os pontos estiverem contabilizados (no circuito ITF os pontos só “chegam” no ranking duas semanas depois), Alcaraz Garfia passará a ser um dos 450 melhores jogadores do mundo. E se apenas contarmos os jogadores com menos de 18 anos é o segundo melhor do mundo, só atrás do italiano Lorenzo Musetti (que aos 17 anos é o 364.º da tabela).

Total
6
Shares
Total
6
Share