Barty opera reviravolta perante Collins e vai jogar final em Adelaide

Fotografia: WTA

A número 1 mundial já tem a sua primeira final para disputar em 2020. A jogar em casa, no novo Adelaide International, Ashleigh Barty garantiu esta sexta-feira o apuramento para a grande decisão da prova, ao bater a norte-americana Danielle Collins em três sets.

A número 27 mundial deu muito trabalho à australiana. Com uma entrada forte e um break madrugador, Collins puxou para o seu lado uma vantagem que durou o resto do parcial. Barty ainda dispôs de três break points quando Collins servia a 4-2, mas a norte-americana manteve a compostura e levou a vantagem até ao final.

Concluído o primeiro set, Barty corrigiu os erros para a segunda partida e encheu por completo o court. O segundo parcial foi largamente dominado pela tenista da casa, que chegou muito rapidamente ao 5-0 e esteve muito perto de conseguir o “pneu” – Collins salvou dois set points antes de conseguir reduzir para 5-1 com o serviço.

A decisão ficou adiada para o terceiro set e tudo parecia bem encaminhado para Barty quando esta quebrou o serviço da adversária para se colocar a vencer por 4-3. Collins não deixou de lutar e, logo a seguir, fez o contra break e deixou tudo igual. As duas tenistas só conseguiram ser separadas por um tie-break, onde Collins ainda salvou um primeiro match point, mas acabou por ceder ao serviço logo a seguir. Em uma hora e 52 minutos de jogo, Ashleigh Barty confirmou a reviravolta e venceu com os parciais de 3-6, 6-1 e 7-6(5).

Em busca de mais um título WTA, a líder do ranking mundial vai ter pela frente a jovem Dayana Yastremska (#24 WTA), que bateu a bielorrussa Aryna Sabalenka (#12) por 6-4 e 7-6(4). A jovem ucraniana, de 19 anos, procura em Adelaide o quarto título WTA e o primeiro da temporada, agora sob as ordens de Sascha Bajin.

Total
3
Shares
Total
3
Share