Australian Open. Apanha-bolas desmaiou e foi acudido por jogadores

Com a qualidade do ar classificada como “muito perigosa”, a organização do Australian Open decidiu manter a programação para o primeiro dia do torneio (cujo início foi apenas atrasado em 60 minutos) e os efeitos já se estão a fazer sentir. Depois da primeira desistência de uma jogadora, também um apanha-bolas não resistiu às difíceis condições que se vivem na cidade de Melbourne.

O episódio aconteceu nas imediações do encontro entre Blaz Kavcic e Jay Clarke, com um dos membros da equipa de apanha-bolas a colapsar nas imediações do court.

O jovem foi rapidamente acudido pelos dois jogadores, que lhe levaram bebidas e toalhas frescas enquanto esperaram pela chegada de membros da equipa médica, e entretanto recuperou a consciência.

Em poucas horas de jogo já se verificaram vários casos de dificuldades respiratórias devido ao fumo que “acordou” a cidade. Genie Bouchard e Bernard Tomic foram alguns dos jogadores queixosos nas primeiras horas de uma jornada e entretanto Gilles Simon já fez uso das redes sociais para mostrar o seu descontentamento:

“Quando se arranjam médicos que dizem que não é perigoso jogar em Melbourne com 45 graus ou em Wimbledon com a relva molhada não é difícil encontrar um especialista que afirme que a qualidade do ar é suficientemente boa”, escreveu o francês no Twitter.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."