Shapovalov volta a brilhar e deixa tudo empatado entre Rússia e Canadá

Kosmos Tennis

Denis Shapovalov tem sido um dos dois obreiros da grande campanha do Canadá nas Davis Cup Finals e este sábado voltou a dar um passo à frente ao vencer o segundo encontro de singulares para adiar a decisão da meia-final com a Rússia para o duelo de pares.

Um dia depois de ter sofrido o primeiro desaire na competição — depois de um começo autoritário perdeu a concentração e o gás e permitiu a recuperação a Alex de Minaur —, o atual número 15 do mundo voltou a sair por cima de uma animada batalha. Desta vez, derrotou o colega do top 20 mundial, Karen Khachanov (17.º), pelos parciais de 6-4, 4-6 e 6-4.

No encontro anterior, Andrey Rublev aumentou para quatro o número de vitórias noutros tantos encontros de singulares disputados esta semana.

E por isso não há volta a dar: a meia-final entre o Canadá e a Rússia — que independentemente do desfecho deste confronto já têm garantida a presença na fase final do próximo ano — será decidida no duelo de pares.

Dado o historial dos últimos dias, é muito provável que ambos os países chamem para esse encontro os protagonistas de todos os encontros da semana: Vasek Pospisil e Denis Shapovalov do lado dos canadianos (que continuam a ter o ainda lesionado Félix Auger-Aliassime no banco) e Andrey Rublev e Karen Khachanov dos russos (que se viram desfalcado da sua maior estrela, Daniil Medvedev, mas têm resolvido quase na perfeição a sua ausência).

Mais logo, nunca antes das 17h30 de Madrid (16h30 em Portugal Continental), Espanha e Grã-Bretanha disputam a segunda e última meia-final da primeira edição da Taça Davis no novo formato.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."