Nadal junta-se a trio de luxo no segundo lugar de mais anos terminados no topo do ranking

O Nitto ATP Finals não está a correr particularmente bem a Rafael Nadal, que por esta altura já não depende de si para chegar às meias-finais, mas o espanhol tem, ainda assim, grandes razões para celebrar: esta quinta-feira, sem ter de entrar em campo, ficou a saber que vai terminar o ano no primeiro lugar do ranking.

A proeza foi alcançada graças à vitória de Roger Federer num encontro entre eternos rivais frente a Novak Djokovic, que precisava de vencer o torneio para ter hipóteses de recuperar a posição cimeira ainda em 2019.

Desta forma, Rafael Nadal junta-se ao suíço, ao sérvio e também ao norte-americano Jimmy Connors no segundo lugar da lista de mais épocas terminadas como número 1 do mundo: já são cinco (2008, 2010, 2013, 2017 e 2019).

À frente está apenas o também norte-americano Pete Sampras, que para além de ter encerrado seis anos como o melhor classificado conseguiu a proeza de o fazer de forma consecutiva: em 1993, 1994, 1995, 1996, 1997 e 1998.

Mais épocas terminadas como número 1 do mundo:

6 — Pete Sampras
5 — Jimmy Connors, Roger Federer, Novak Djokovic, Rafael Nadal
4 — John McEnroe, Ivan Lendl
2 — Bjorn Borg, Stefan Edberg, Lleyton Hewitt
1 — Ilie Nastase, Mats Wilander, Jim Courier, Andre Agassi, Gustavo Kuerten, Andy Roddick, Andy Murray

(a negrito jogadores ainda em atividade)

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."