Caos na Croácia: Cilic lesionado, capitão despedido e Karlovic indisponível

Campeã da última edição da Taça Davis como a conhecemos, a Croácia partia como uma das principais favoritas à vitória na edição inaugural das Davis Cup Finals, até porque o piso (hard court) instalado na Caja Mágica de Madrid favorece e muito a equipa europeia. Mas vários volte-faces baralham as contas a poucos dias do início da competição…

Primeiro, a lesão de Marin Cilic. O atual número 39 do mundo, grande obreiro da campanha de 2018 que culminou na vitória em Lille, frente à França, está lesionado no joelho e não vai poder viajar até à capital espanhola. “A minha lesão continua a dar-me problemas e à medida que a época evoluiu tornou-se mais claro que a cirurgia é inevitável”, anunciou na última semana nas redes sociais.

Depois, o despedimento daquele que era o capitão desde 2012. Dois dias depois do anúncio feito por Marin Cilic, a Federação Croata de Ténis (HTS) lançou o pânico ao anunciar o fim da colaboração com Zeljko Krajan. Num comunicado partilhado no website oficial, a entidade referiu que “depois de uma reunião entre os responsáveis da HTS e os jogadores concluiu-se que a equipa não vai viajar para Madrid sob a liderança do treinador Zeljko Krajan.”

Nem razões nem um substituto foram apontados, sendo dada apenas a promessa de que a vaga será ocupada na segunda-feira, dia em que está prevista uma conferência de imprensa.

E, por fim, a indisponibilidade de Ivo Karlovic para se juntar à equipa e preencher a vaga deixada pelo compatriota. Face à lesão de Marin Cilic, a imprensa croata adiantou que ainda como selecionador nacional Krajan terá entrado em contacto com Ivo Karlovic — o melhor jogador a ficar de fora da convocatória inicial (que também incluiu Borna Coric, Ivan Dodig, Mate Pavic e Nikola Metic). Só que o “gigante” de 40 anos, que não joga a competição desde a final de 2016, mostrou-se indisponível porque tem planeado ir a jogo no Challenger de Houston, nos EUA, para tentar ganhar pontos que lhe permitam entrar diretamente no quadro principal do Australian Open.

Na linha de sucessão surge, então, o 243.º classificado no ranking mundial, Viktor Galovic. Apesar de estar longe de ser uma grande ameaça aos rivais — até porque a estreia da Croácia dá-se logo contra a fortíssima russa, de Daniil Medvedev, Karen Khachanov, Andrey Rublev e Evgeny Donskoy —, o tenista de 29 anos já conta com várias chamadas à equipa e disputou dois encontros (1-1). Mas as dúvidas continuam a surgir, porque face a estes problemas a Federação Croata de Ténis admitiu estar determinada a apostar “numa equipa jovem”. Aí, Borna Gojo (279.º), de 21 anos, e Nino Serdarusic (281.º), de 22, “ganham” a corrida ao compatriota.

É esperar para ver, com a certeza de que na segunda-feira, a oito dias do início da competição, tudo ficará um pouco mais claro para a Croácia.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."