Campeonato da Europa de Padel. E tudo a Espanha levou — outra vez

LISBOA — Um, dois, três quatro. Dos quatro títulos em jogo no Campeonato da Europa de Padel que a EPA — European Padel Association organizou pela primeira vez, no Lisboa Racket Centre, não houve um único que fugisse à Espanha. Não é uma novidade e surpreendente seria se o desfecho não fosse este, mas Portugal também tem (muitas) razões para sorrir.

No último dia do segundo Campeonato da Europa organizado de forma consecutiva em Portugal (há dois anos jogou-se no Clube de Ténis do Estoril) os planos começaram por ser estragados pelo mau tempo: a chuva regressou e levou a que as finais fossem transferidas para os campos cobertos do clube lisboeta, onde ainda assim a ação pôde prosseguir.

E depois de uma fase inicial que coroou Uriel Botello Cohen/Javier Ruiz González e Paula Josemaría Martín/Carolina Navarro Bjork como campeões e campeãs de duplas foi hora de se jogarem as finais ibéricas. Uma vez mais, Espanha e Portugal estiveram frente a frente nas decisões feminina e masculina das competições por equipas. E uma vez mais ganhou a Espanha.

Na competição feminina, o primeiro ponto foi somado por Patricia Llaguno Zielinski e Elisabet Amatriain Armas (que derrotaram Margarida Fernandes e Patrícia Ribeiro por 6-2 e 6-0) e o segundo por Carolina Navarro Bjork e Paula Josemaría Martín, que derrotaram Kátia Rodrigues e Ana Catarina Nogueira (parceira de Paula Josemaría no World Padel Tour) por 6-1 e 6-2.

Ainda houve tempo para Portugal sorrir, graças ao ponto de honra que Sofia Araújo e Leninha Medeiros conseguiram conquistar: no terceiro e último encontro, que já não decidia o título, as portuguesas superaram Maria del Carmen Villalba Sánchez e Beatriz González Fernández por 6-3 e 6-3.

A final masculina desenrolou-se de forma semelhante: apesar de um duelo mais equilibrado a abrir, Alejandro Ruiz Granados e Javier Garrido Gómez conseguiram superar Diogo Schaefer e João Bastos (parciais de 7-6[6] e 6-2) e abriram caminho a que Álvaro Cepero Rodríguez e Pablo Lijó Santos batessem Miguel Oliveira e Vasco Pascoal, por 6-2 e 6-4, para confirmarem mais um título para a Espanha.

No terceiro encontro chegou o ponto de honra luso, com Diogo Rocha e Ricardo Martins e vencerem o primeiro set por 7-2 no tie-break pouco antes de verem Javier Ruiz González e Uriel Botello Cohen desistirem.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."