Seleções portuguesas terminam fase de grupos do Europeu de Padel com registos perfeitos

PAHD

LISBOA — A participação das seleções nacionais feminina e masculina nas fases de grupos do EPA — European Championships (o Campeonato da Europa de Padel que se joga no Lisboa Racket Centre) dificilmente poderia ter corrido melhor: os dois conjuntos terminaram a primeira parte da competição só com vitórias.

Dois anos depois de se ter sagrado vice-campeã da Europa no Clube de Ténis do Estoril, a equipa feminina arrasou a concorrência: 3-0 à Alemanha na terça-feira, 3-0 à Bélgica e 3-0 à Irlanda na jornada dupla desta quarta-feira.

Na primeira jornada, Kátia Rodrigues e Diana Silva derrotaram Inken Breyer por 6-2 e 6-1, Leninha Medeiros e Sofia Araújo superaram Anita Herrmann e Veronika Hinterseer por 6-0 e 6-2 e Patrícia Ribeiro e Margarida Fernandes aplicaram os parciais de 6-4 e 6-2 a Antonia Flosbach e Katrin Baecker.

Já esta quarta-feira, Ana Catarina Nogueira e Kátia Rodrigues levaram a melhor sobre Helena Wyckaert e Laura Bernard por 6-1 e 6-4, Sofia Araújo e Leninha Medeiros derrotaram Eline Boeykens e Elizabeth Wyckaert por 6-0 e 6-3 e Margarida Fernandes e Patrícia Ribeiro venceram Jana Bonnarens e Marie Maligo por 6-3 e 6-3.

Depois, na parte da tarde e para selar a participação perfeita na fase de grupos, Margarida Fernandes e Patrícia Ribeiro ganharam por 6-0 e 6-0 a Rufina Kissane e Fiona Cunningham, Leninha Medeiros e Joana Brites superaram Grace O’Reilly e Sarah Abragam e Kátia Rodrigues e Diana Silva venceram Kelly Burns e Ava Operman pelos mesmos 6-0 e 6-0.

Apurada diretamente para as meias-finais, Portugal fica à espera do desfecho do duelo entre Suíça (segunda classificada no Grupo A) e Suécia (primeira classificada no Grupo C) para conhecer o próximo desafio, marcado apenas para sexta-feira. Até lá, as jogadoras portuguesas ainda em prova (Sofia Araújo/Ana Catarina Nogueira e Patrícia Ribeiro/Margarida Fernandes) disputarão os quartos de final de duplas.

No torneio masculino, onde procura primeiro igualar e depois melhorar o também segundo lugar alcançado há dois anos a não muitos quilómetros de distância, a equipa da casa também esteve irrepreensível: três encontros, três vitórias por 3-0 (sobre a Irlanda, a Suíça e a Finlândia).

No primeiro dia, Francisco Neves e João Magalhães venceram Stuart Duggan e Federico Raffo por 6-0 e 6-0, Diogo Rocha e Ricardo Martins aplicaram os mesmos parciais a Sam McKibbin e Kevin Iawler e Diogo Schaefer e João Bastos não fugiram à regra e venceram da mesma forma Mark Johnston e Niall McGann.

Depois, Diogo Rocha e Ricardo Martins derrotaram Pascal Burkhart e Patrik Burkhart por 6-0 e 6-0, Miguel Oliveira e Vasco Pascoal superaram Dylan Sessagesimi por 6-1 e 6-1 e João Bastos e Diogo Schaefer deixaram para trás Till Gygax e Felix Schifferle, com 6-1 e 6-1.

A fechar a participação na fase de grupos, frente à Finlândia, Miguel Oliveira e Diogo Schaefer derrotaram Mikko Hermans e Sebastian Carlsson por 6-2 e 6-1, Francisco Neves e Vasco Pascoal bateram Max Sjoevall e Juuso Tapanainen por 6-0 e 6-3 e João Bastos e João Magalhães impuseram 6-1 e 6-1 a Olli Marjamaki e Henrik Sillanpaa.

A seleção portuguesa passou aos quartos de final e fica à espera do desfecho do Grupo D (enfrentará a segunda classificada: ou Bélgica, ou Polónia ou Alemanha) para saber quem defronta já na quinta-feira, dia de jornada dupla para Diogo Rocha/Sebastião Mendonça, Miguel Oliveira/Vasco Pascoal, Ricardo Martins/Francisco Neves e Diogo Schaefer/João Bastos, que estão nos quartos de final do torneio de duplas.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."