João Sousa derrotado por estrela da casa no regresso a Estocolmo

Não correu bem o regresso de João Sousa à cidade de Estocolmo. Um ano e meio depois de lá ter disputado uma eliminatória da Taça Davis e cinco anos depois da última participação no Intrum Stockholm Open, o número um português não conseguiu contrariar o bom momento de forma da grande estrela da casa e foi eliminado na primeira ronda.

À procura da primeira vitória numa das primeiras etapas da tour europeia em pisos rápidos indoor, o melhor tenista português de todos os tempos (atual número 64 do ranking ATP) deixou-se trair por duas quebras de concentração e perdeu por 7-5 e 6-4 para Mikael Ymer, o jovem sueco nascido na Etiópia que entretanto explodiu para o estrelato e entrou pela primeira vez no top 100 (é o 75.º na atualização da última segunda-feira).

O desempenho do mais novo dos irmãos Ymer no circuito secundário — onde só este ano já disputou seis finais Challenger, das quais venceu quatro (as mais recentes nos dois últimos torneios que disputou) — servia de alerta para o regresso do Conquistador português ao histórico torneio sueco, mas ainda assim João Sousa partia como favorito para o duelo.

E foi esse favoritismo que o pupilo de Frederico Marques tentou tentou reforçar desde cedo, ao conquistar a primeira quebra de serviço ao terceiro jogo, minutos depois de ter sido o primeiro jogador a enfrentar um break point. Mas a reação não se fez esperar e Mikael Ymer (que chegou a Estocolmo com a confiança reforçada e depressa começou a dar cartas com o serviço e a direita — as duas pancadas em que mais apoia o seu jogo) foi à carga, recuperando de imediato a quebra de serviço.

Apesar de não ter conseguido segurar a vantagem, João Sousa não desistiu de lutar pelo parcial e voltou a adiantar-se no serviço do jovem sueco — a maior estrela da academia Good to Great, de Magnus Norman (o treinador de Stan Wawrinka). Só que aí deixou-se afetar pela primeira de duas quebras de concentração que ditaram a derrota, ao acusar em grande escala o nervosismo e, com uma dupla falta, dar início a uma série de três jogos em que não conseguiu ter argumentos e acabou por perder totalmente o controlo do primeiro parcial.

Na segunda partida foi Mikael Ymer quem conseguiu chegar primeiro ao break, mas o tenista português de 30 anos também soube reagir e igualou o marcador. Para além de recuperar terreno, João Sousa recuperou fôlego e aproveitou um aumento nos erros do jovem tenista da casa para voltar à discussão dos acontecimentos, mas uma quebra de serviço ao nono jogo, quando servia para igualar o set já depois de ter estado em desvantagem numa outra ocasião, ditou o fim da luta: 1h46 depois, a vitória foi mesmo para a jovem estrela da casa.

Com a derrota na eliminatória inaugural, João Sousa passa a ter um registo de 26 vitórias e 31 derrotas e fica mais longe de terminar a temporada entre os 50 primeiros do ranking mundial mas ainda tem mais duas oportunidades de pontuar: a próxima paragem é o ATP 500 de Basileia, na Suíça (onde não tem pontos a defender) e a derradeira o Masters 1000 de Paris, onde tem a defender 70 pontos — ultrapassou a fase de qualificação e derrotou Marco Cecchinato antes de ser travado por Novak Djokovic.

Atualizado às 16h20.

Total
9
Shares
Total
9
Share