O top 100, a primeira vitória sobre uma top 10 e agora a final: Gauff continua a quebrar barreiras em Linz

Se a nova geração presente em Xangai tem recebido grande parte do destaque da semana pelos resultados históricos que tem protagonizado, também em Linz, na Áustria, há uma jovem estrela a brilhar — e de que maneira: Coco Gauff, a “menina” de 15 anos que se apresentou ao mundo em Wimbledon, tem vindo a quebrar barreiras atrás de barreiras e promete não ficar por aqui.

Depois de ser chamada como lucky loser no quadro principal do torneio a 40 minutos de entrar em ação e vencer, a norte-americana selou a entrada no top 100, chegou aos primeiros quartos de final da carreira em torneios WTA e somou a primeira vitória sobre uma jogadora do top 10 (eliminou a número oito Kiki Bertens, em dois sets) para, ao mesmo tempo, garantir a presença nas primeiras meias-finais.

Este sábado, deu mais um passo em frente e derrotou a ex-top 10 Andrea Petkovic (6-4 e 6-4) para inscrever o nome na final de um torneio WTA pela primeira vez na carreira.

Coco Gauff é a jogadora mais nova a chegar à final de um torneio desde que Nicole Vaidisova conquistou Tashkent em outubro de 2004, precisamente o ano em que a norte-americana nasceu.

 

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."