João Sousa e Pedro Sousa vencem o par e colocam Portugal a um ponto do apuramento

Fotografia: Belarus Tennis

Entrada com o pé direito no derradeiro dia de Taça Davis em Minsk: João Sousa e Pedro Sousa venceram o encontro de pares para colocarem Portugal na liderança (2-1) da eliminatória com a Bielorrússia. A seleção lusa só precisa de mais um triunfo para selar a vitória e seguir para a fase de qualificação das Davis Cup Finals.

Lado a lado pela segunda vez com as cores de Portugal ao peito — mas primeira desde o já longínquo ano ano de 2013 —, o vimaranense e o lisboeta realizaram uma exibição bastante sólida para superarem Ilya Ivashka e Andrei Vasilevski em duas partidas, com os parciais de 6-3 e 7-6(6), quando estava decorrida 1h25 de encontro.

Sousa e Sousa entraram com tudo no duelo e conseguiram o break logo no jogo inaugural. A investida suscitou reação e a dupla da casa esteve perto de devolver a quebra de serviço, ao dispor de três pontos de break, mas os portugueses conseguiram segurar a vantagem e ao nono jogo celebraram mesmo mais um break para vencerem o primeiro parcial de forma relativamente tranquila.

Na segunda partida, o equilíbrio foi nota dominante e nem uma, nem outra equipa conseguiu criar oportunidades para se adiantar no marcador. Foi por isso necessário um “tira-teimas” e aí foram os bielorrussos a entrar melhor, com Ivashka e Vasilevski a disporem de dois set points antes de João Sousa e Pedro Sousa alinharem quatro pontos consecutivos para anularem a situação e, ao primeiro match point, gritarem vitória.

Depois de uma jornada inaugural em que Bielorrússia e Portugal repartiram os pontos nos dois primeiros singulares (João Sousa derrotou Ilya Ivashka, João Domingues perdeu contra Egor Gerasimov), a seleção lusa ganha vantagem e fica a apenas um ponto de celebrar o apuramento para as Davis Cup Qualifiers, a nova qualificação para a fase final da prova, agora denominada Davis Cup Finals e disputada numa só semana e num único palco: Madrid, quer em 2019 quer em 2020.

O resultado de 2-1 significa que a vitória portuguesa pode ser selada já no próximo encontro, que vai colocar frente a frente os melhores jogadores de cada país: João Sousa defronta Egor Gerasimov. Em caso de triunfo do jogador da casa, será disputado um quarto e último singular — decisivo para o desfecho do embate e protagonizado pelos número 2 de ambos os países.

Última atualização às 11h02.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."