Novak Djokovic: “A abordagem é a mesma dos últimos dez anos”

Fotografia: US Open

O sérvio Novak Djokovic iniciou a defesa do título no US Open da melhor forma, com uma vitória em três sets sobre o espanhol Roberto Carballes Baena. No final do encontro, o número um do Mundo analisou o encontro e foi questionado sobre a mentalidade com que encara o torneio norte-americano.

“Hoje joguei contra alguém que nunca tinha defrontado antes, o que não acontece com tanta frequência. Foi uma exibição sólida. Penso que posso jogar melhor, mas foi o esperado para um primeiro jogo e espero poder construir algo a partir daqui”, começou por dizer, em conferência de imprensa.

Em relação à mentalidade com que encara o torneio, Djokovic afirma que nada mudou em relação ao que têm sido os últimos dez anos. “Eu mencionei na minha última conferência de imprensa que nesta fase da minha carreira e da minha vida é maioritariamente acerca dos Grand Slams e de que forma posso delinear a minha forma de maneira a atingir o pico do meu nível tenístico e das minhas capacidades num Grand Slam. Eles [Slams] são os que mais importam no nosso desporto e certamente os que me motivam mais.

Claro que valorizo todos os torneios em que jogo, especialmente os grandes ATP Masters 1000, e tento o meu melhor. Esses são os eventos onde quero jogar ao meu melhor nível. Tendo isso em conta, a abordagem é a mesma dos últimos dez anos. Estou muito motivado, muito focado e muito determinado em sair-me bem. Já estive nesta situação em particular por várias vezes ao longo da minha carreira e sei o que me faz sentir confortável e o que preciso de fazer de forma a chegar longe no torneio”, afirmou.

O tenista sérvio abordou ainda a retirada do compatriota Janko Tipsarevic, revelando que a amizade próxima dos dois permitiu-lhe saber da decisão um pouco antes desta ser anunciada. Entre muitos elogios a um tenista que conhece “desde os nove, dez anos”, Novak Djokovic revela entender o porquê da retirada: “É triste vê-lo partir, mas considerando tudo pelo que o corpo dele passou nos últimos três anos, é compreensível. Foram muitas cirurgias e lesões. E infelizmente, ele não conseguiu voltar àquele caminho no qual era um jogador do top-10”.

Em relação ao piso do Arthur Ashe Stadium, onde no ano passado ergueu o troféu, Djokovic afirmou que as condições estão semelhantes. O tenista sérvio está já na segunda ronda, onde vai defrontar Juan Ignacio Londero.

Total
2
Shares
Total
2
Share