Um ano depois, Tomás Luís volta a terminar Vila do Conde Junior Tennis Cup como finalista

Fotografia: Cirilo Vale

Um ano depois, o mesmo resultado: Tomás Luís despediu-se da Vila do Conde Junior Tennis Cup como finalista e fê-lo não só na variante de singulares como na de pares.

Um dia depois de ter perdido a final de duplas, o algarvio, primeiro cabeça de série, não conseguiu ter armas para o espanhol Daniel Rincon, segundo, e acabou derrotado ao fim de apenas duas partidas, parciais de 6-1 e 6-4.

Esta foi a segunda final de singulares que Tomás Luís (atualmente 364.º do ranking mundial de juniores) disputou em 2019, ele que no mês de março também terminou como vice-campeão do torneio de Sousse, na Tunísia e igualmente da categoria 5.

Vitória 100% portuguesa em pares

Se na final de singulares o título escapou às cores portuguesas, em singulares não havia hipóteses: a discussão foi entre duas duplas portuguesas e João Ferreira e Tiago Torres (quartos cabeças de série) conseguiram levar a melhor sobre Tomás Luís e Tiago Pereira (terceiros) por 6-3 e 7-5

Para João Ferreira, tratou-se do primeiro título da carreira no circuito internacional juvenil — ele que em 2017 já tinha sido finalista de pares desta mesma prova, mas ao lado de Fábio Coelho. Já Tiago Torres, conquistou pela segunda vez um torneio, depois de em maio ter feito a festa ao lado de Tomás Luís na cidade de Ventspils, na Letónia.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."